Pular para o conteúdo principal

Manifesto pela vida real


Lendo um texto sobre as relações que terminam por mensagem de texto no celular, pensei sobre uma outra situação que me incomoda: os namoros ou começos de relação que desenrolam pelo mundo virtual. Eu me chateio bastante com isso, já fiquei muito irritada com a escassez de ligações e o exagero em chamadas para bate-papo. Qual é, tão frio e tão distante isso, sem calor, sem emoção. Acho que é o esconderijo dos covardes, eu admito que me escondo também, mas nem tanto quanto muitos. Afinal, ouvir a voz, sentir o cheiro, ouvir a respiração, sentir a energia correndo pelo ar é muito mais prazeroso que esse distanciamento virtual. O virtual é frio e opaco, muito fácil esconder sentimentos e deixar a espontaneidade de lado. Ser quem se é ao vivo e a cores não tem preço, não tem substituto. A vida transcorre aqui e agora, quanto tempo se perde digitando no teclado em vez de correr para os braços de quem se ama. Salvo as circunstâncias onde há uma grande distância geográfica, não há o que justifique o distanciamento virtual, a ausência. Não há o que justifique as lacunas que teclas rápidas despejando palavras deixam em nossa vida e em nosso coração.

Por isso, escrevo aqui esse manifesto, para que nós façamos uma reflexão do quanto perdemos em passar tanto tempo em frente à tela do computador, as pessoas que deixamos de curtir, de tocar, os amores que se perdem entre uma tela e outra, entre uma rede social e outra, entre um bate-papo e outro. Quantas vezes deixamos os livros e as revistas legais de lado para cansar as vistas em frente ao monitor, quantas vezes não ligamos apenas para dizer oi, pensei em você, quero lhe ver. Realmente, é um ganho em termos de aproximar as pessoas, mas uma lamentável perda para o social, o toque, o mundo físico e geográfico. 

Prefiro encontrar as pessoas que realmente gosto em uma festa, um encontro informal em mesas de bar ou nas praças, em lindas tardes de sol. Olhar nos olhos ainda é a melhor maneira de sentir uma pessoa, descobrir mais verdades sobre quem amamos. O valor do abraço é reconhecidamente curativo e calmante, o toque é a grande conquista do amor, o beijo é um encontro quase poético. Há mágica na vida, só quem endureceu para não perceber isso, há mágica em tardes de sol e em dias de chuva, há mágica em uma linda canção e uma dança improvisada na sala, há mágica entre olhares trocados ao acordar, há mágica nas salas de cinema e nos baldes de pipoca, há mágica em conversas descompromissadas e em declarações de amor in loco; há vida, mágica e poética no mundo. Nada como uma paquerinha na mesa de um bar, com aquele carinha que a gente curte, que nos curte, nada como conversar olhando no olho e sentindo a vibração da pessoa. Mais realidade, mais engasgadas de emoção, mais beijo na boca, mais mãos dadas, mais abraços, mais vida. E real, não virtual.

Comentários

  1. Vamos ver quanto tempo dura este otimismo todo! Mas é tão bom curtir uma paquerinha em uma mesa de bar...Parabéns, texto muito bem escrito!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Obrigada.

Postagens mais visitadas deste blog

Amor é merecimento

Um rompimento sempre dá espaço às reflexões sobre o fim, quando escolhemos cair fora gostando muito da pessoa, ou quando há mais dúvidas do que certezas. No meu caso já fui muito magoada e caí fora porque não mereci o tratamento que recebi, mas isso já foi superado e essa situação me levou a perceber o motivo de me sentir tão entristecida. Pode ser que não seja possível escolher por quem nosso coração vai vibrar, quem vai nos fazer leves e tal, mas sentimos os primeiros sinais. Eu senti, mas fui cega para não perceber e cair fora antes. 

Apesar de alguém até contrariar esse meu pensamento, aprendi que amor é merecimento. Não vou mais entregar meu coração assim, por alguém que não faça por merecer, alguém que não demonstre muita vontade de estar por perto e que se importe. Sou naturalmente esquiva e arisca, apesar de já ter mudado bastante, sempre tenho a tendência à fuga. Mas quando sentimentos, emoções estão envolvidos, dá uma embaralhada, eu sei. No entanto, mesmo que sinta a proximi…

Desse destino louco

Sabe, você foi e é uma surpresa em minha vida. Quando nos conhecemos, mal reparei em você, pensei até que fosse muito carente ou algo do tipo. Resolvi ser cordial e conversar por nem sei qual motivo. Entenda, minha atitude é, via de regra, cortar qualquer entusiamo masculino, sou eu quem decide, sou eu quem escolhe, nunca sou escolhida. Mas sabe-se lá qual força do universo me fez descer do pedestal e dialogar com você. Que noite louca. Relembro e vejo que foi um negócio meio nonsense e até absurdo, que tinha tudo para dar errado. Mas estamos aí, nos conhecendo (quem sabe reconhecendo) e vivendo essa sintonia que surgiu nem sei de onde. Você, um nerd dos sistemas binários, eu, uma geek poeta que vê beleza nas situações mais bestas. Que enxerga magia onde você nem imagina. E, olha só que inusitado, vejo magia em nós.
Tantos e tantos anos se passaram desde a última vez em que foi mágico encontrar alguém, quantas lágrimas, ressacas e o refúgio no meu orgulho tiveram que acontecer para que…

Um pouco a cada dia - reflexão sobre a ansiedade

Caminhamos, corremos, dirigimos, entramos no ônibus, no táxi. Atravessamos a rua, paramos no sinal. Entramos em casa, na aula, no trabalho. Comemos, trabalhamos, estudamos. Conversamos, rimos, brincamos. Frequentamos academias, barzinhos, cinemas, shoppings. Fingimos. Todos os dias fingimos estar bem. Todos os dias fingimos não sentir o peito apertado, o coração descompassado, a respiração difícil. É quando voltamos para casa ou entramos em nosso quarto que tudo desaba. A solidão, os problemas reais ou imaginários, a depressão, ansiedade, o medo, a falta de vontade de viver batem de soco nos pensamentos. Não, pessoas, não é falta de ter o que fazer, falta de deus no coração ou falta de sexo. É falta de paz, falta de amor, falta de compaixão, falta de propósito, falta de ânimo, falta de motivação.
Pode ser excesso, também. Uma alta sensibilidade, emoções intensas e profundas em um mundo raso e fútil causa uma comoção severa nas almas mais pensativas e observadoras, com alta percepção …