Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Agosto, 2016

Dança da noite

No embalo da noite, danço
Remexo os braços, alinho a coluna
Cerro as pálpebras, sinto
Bato meus pés, visto minhas fantasias
Sonhos, pesadelos
No embalo da noite, canto
A Lua, minha testemunha
Me beija, bafeja
Queda o pranto, lamento
No embalo da noite, sou
Pijama, pantufas
Sonhos, fantasia e ilusão
Agitação, solidão, eu
Anoitece em mim, pesa
O colchão me abraça, o travesseiro acaricia
No embalo da noite, sonho
Choro
Grito
Suspiro
No embalo, sou noite
Sou minha.

Há o quê?

Existe algo intangível em cada segundo passado longe Perto ou distante Há dor, há nada, há tudo, há o quê? Existe algo inexplicável em cada segundo passado longe rancor, dor, coisas vãs Há língua, há palavras, há silêncio, há o quê? Existe algo inexorável em cada segundo passado longe vida, morte, angústia Há equívoco, há encontros, há tudo, há o quê? Existe algo imponderável em cada segundo passado longe Agora ou amanhã Há dor, há abismos, há respostas, há o quê? Existe algo indelével em cada segundo passado longe Forte, macio, suave Há força. há fragilidade, há você.

Solidão, tempo
Que esperar dos meus minutos
Solidão, espera
Ansiedade ao piscar os olhos
Solidão, medo, angústia
A vida devagar apunhala, zomba
E sussurra a realidade
Solidão, lágrimas, soluços
A vida umedecendo a pele, escorrendo na face
Olhos que vêem, molham, procuram
Olhos que se perdem e se encontram
Solidão, tempo
Não passa, não muda
Vou aqui, ali, viajo
Nada muda aqui dentro, aqui fora
Solidão, temor, pânico
Sufocando, roubando o ar, a paz
Roubando a mim
Solidão, tempo, medo
Solidão
Nome certo, horas inadequadas, tempo sem fim
Angústia perene
Vida
Sobrevivendo
Caos, despencando no vazio
Solidão, solidão
Barulho, palavras
Sempre solidão
Sempre eu
Cansei de mim, dos pensamentos
Solidão que me devora
Que me amola
Que imola a minha paz
Que anseia e rouba a luz
Solidão.