Pular para o conteúdo principal

Carta ao homem moderno




Pois então, caro homem moderno, precisamos lhe esclarecer algumas atitudes nossas. E digo nossas porque assumi o posto de porta-voz da mulherada que faz parte da minha família do coração e acho que falo pelas mulheres da minha família de sangue também (exceto minha mãe). A sociedade nos cobrou muito sermos super-tudo e que ainda ganhássemos muito dinheiro e ficássemos jovens para sempre, que não menstruássemos (como se o símbolo máximo da nossa feminilidade fosse um nojo), que fossemos boas de cama, mesa e banho, enfim, tantos absurdos que levaria um dia lhe enumerando. Acho que você nunca pensou nisso, ao menos sob esse ponto de vista. E não avaliou como nossa vida tem sido uma sucessão de cobranças desde sempre, acho até que piorou com o feminismo e a ascensão da mulher ao mercado de trabalho. Não que eu seja contra as mudanças, como deve saber, na vida o que prepondera é a impermanência, mas acho que faltou equilíbrio e planejamento para essa revolução toda. 

E ficamos nós, mulheres e homens meio perdidos. Às mulheres ensinaram que homens não prestam, que relações são supérfluas, que precisamos ser fortes, mas que também devemos ser meigas, que precisamos ser magras e que os homens gostam das boazudas, que precisamos ser inteligentes, mas tanta inteligência assusta e não podemos demonstrar nosso conhecimento, que devemos ser prendadas, mas não podemos perder tempo cuidando da casa, veja só, quanta contradição nos enfiam na cabeça. E você, homem, por sua vez, está virado num animalzinho largado. Não sabe como fazer e vai sobrevivendo, aliás, nós também. Nos desejamos, homem e mulher, nos amamos mas é tanta cobrança, tanto palpite, tanta idéia pré-concebida, tanto zumzumzum que ficamos assim, distantes um do outro. Você, caro homem, antes deveria ser um provedor financeiro e não bater nem na mulher e nem nos filhos, só isso. O que você oferecesse a mais, seria lucro. 

De uma hora pra outra, veio todo esse discurso da modernidade e mudou tudo. Você homem, tem que ser um provedor afetivo também, precisa ser parceiro, ajudar nos afazeres domésticos, cuidar dos filhos e ser cheiroso e bom para sua esposa, mas sua mãe feminista não lhe ensinou assim. Ela dizia para as amigas prenderem as cabritas que seu bode estava solto, que você não precisava ajudar em casa e que tinha mais era que curtir a vida. A mesma mulher que lhe educou desse jeito reclamava do seu pai que não fazia nada em casa. Entendeu nosso dilema?

Pois é e sua mãe será a nossa sogra, veja só. A mesma que vai nos olhar torto e nos engolir, que vai nos achar esquisitas e meio liberadas. Se sua mãe é falecida, desculpe. Mas alguma mulher nesse mundo lhe enfiou merda na cabeça, fala sério. Para você estar assim, tão enlouquecido com nossas vozes ecoando em sua cabeça e não saber como agir, eu afirmo novamente, alguma mulher lhe enfiou merda na cabeça. A mesma mulher que se queixa da incompreensão masculina. Então, essa vida moderna virou uma barafunda de desencontros e ainda há homens que dizem admirar a mulher moderna, mas acham que somos um bibelô a ser protegido de tão frágil, como se não pudéssemos nos virar sozinhas. Somos frágeis sim, assim como você, mas não precisamos de um guarda-costas. Agora, se pedimos um abraço, é porque estamos carentes ou tristes ou o que seja, seu peito é nosso refúgio e seu coração um alento. 

Não queremos super-heróis, acredite, assim como não somos super-tudo. Queremos um parceiro, alguém com quem contar. Não que precisamos de um homem a qualquer custo, mas se abrimos a guarda para você é porque você é ou pode ser importante. Ao corrermos para você pedindo apoio, não é porque precisamos de um cavaleiro protetor, mas por você ser diferente, ocupar um lugar especial em nossas vidas. Chegamos sozinhas em qualquer lugar, mesmo que não haja nenhum conhecido nos esperando, então, tenha a certeza de que não precisamos de você. Queremos e desejamos a sua companhia, o que é totalmente diferente. Você não é uma necessidade, você é uma escolha, uma vontade, um desejo. Então, homem moderno, espero que ao ler essa carta, você compreenda um pouco mais sobre nós e entenda, finalmente, porque não desistimos de você.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Amor é merecimento

Um rompimento sempre dá espaço às reflexões sobre o fim, quando escolhemos cair fora gostando muito da pessoa, ou quando há mais dúvidas do que certezas. No meu caso já fui muito magoada e caí fora porque não mereci o tratamento que recebi, mas isso já foi superado e essa situação me levou a perceber o motivo de me sentir tão entristecida. Pode ser que não seja possível escolher por quem nosso coração vai vibrar, quem vai nos fazer leves e tal, mas sentimos os primeiros sinais. Eu senti, mas fui cega para não perceber e cair fora antes. 

Apesar de alguém até contrariar esse meu pensamento, aprendi que amor é merecimento. Não vou mais entregar meu coração assim, por alguém que não faça por merecer, alguém que não demonstre muita vontade de estar por perto e que se importe. Sou naturalmente esquiva e arisca, apesar de já ter mudado bastante, sempre tenho a tendência à fuga. Mas quando sentimentos, emoções estão envolvidos, dá uma embaralhada, eu sei. No entanto, mesmo que sinta a proximi…

Desse destino louco

Sabe, você foi e é uma surpresa em minha vida. Quando nos conhecemos, mal reparei em você, pensei até que fosse muito carente ou algo do tipo. Resolvi ser cordial e conversar por nem sei qual motivo. Entenda, minha atitude é, via de regra, cortar qualquer entusiamo masculino, sou eu quem decide, sou eu quem escolhe, nunca sou escolhida. Mas sabe-se lá qual força do universo me fez descer do pedestal e dialogar com você. Que noite louca. Relembro e vejo que foi um negócio meio nonsense e até absurdo, que tinha tudo para dar errado. Mas estamos aí, nos conhecendo (quem sabe reconhecendo) e vivendo essa sintonia que surgiu nem sei de onde. Você, um nerd dos sistemas binários, eu, uma geek poeta que vê beleza nas situações mais bestas. Que enxerga magia onde você nem imagina. E, olha só que inusitado, vejo magia em nós.
Tantos e tantos anos se passaram desde a última vez em que foi mágico encontrar alguém, quantas lágrimas, ressacas e o refúgio no meu orgulho tiveram que acontecer para que…

Um pouco a cada dia - reflexão sobre a ansiedade

Caminhamos, corremos, dirigimos, entramos no ônibus, no táxi. Atravessamos a rua, paramos no sinal. Entramos em casa, na aula, no trabalho. Comemos, trabalhamos, estudamos. Conversamos, rimos, brincamos. Frequentamos academias, barzinhos, cinemas, shoppings. Fingimos. Todos os dias fingimos estar bem. Todos os dias fingimos não sentir o peito apertado, o coração descompassado, a respiração difícil. É quando voltamos para casa ou entramos em nosso quarto que tudo desaba. A solidão, os problemas reais ou imaginários, a depressão, ansiedade, o medo, a falta de vontade de viver batem de soco nos pensamentos. Não, pessoas, não é falta de ter o que fazer, falta de deus no coração ou falta de sexo. É falta de paz, falta de amor, falta de compaixão, falta de propósito, falta de ânimo, falta de motivação.
Pode ser excesso, também. Uma alta sensibilidade, emoções intensas e profundas em um mundo raso e fútil causa uma comoção severa nas almas mais pensativas e observadoras, com alta percepção …