Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Fevereiro, 2014

Do amor e do retorno

Durante nossa curta (quem sabe intensa) passagem pela vida queremos amar, ser amados, prazer, felicidade, sucesso (o conceito varia para cada um), dinheiro, casa, carro e mais coisas e experiências que julgamos necessárias para habitar esse bioma natural e autêntico (tantas vezes usurpado e tratado com desleixo) chamado Terra. E todos esses desejos, expectativas, anseios, projetos, sonhos e objetivos são projetados em uma situação, emprego ou pessoa. É aí que a porca torce o rabo, amigos, porque podemos controlar nosso tempo, mas o trânsito existe para provar que nunca há tempo suficiente, um engarrafamento, um imprevisto na figura de um pequeno acidente ou  vizinho que quer reclamar de algum vazamento em nosso apartamento podem nos atrasar e ao nosso objetivo. Podemos esperar sucesso em uma empresa pública ou privada, mas o acaso pode mostrar que isso depende muito mais dos outros do que de nós e do nosso esforço, pois acreditamos fazer o melhor, mas a visão de uma pessoa desse "…

Prefiro

Prefiro me expor do que morrer com amor engasgado
Prefiro sentir do que endurecer
Prefiro transformar a raiva em algo bom para não amargurar
Prefiro desabar às vezes do que fingir uma força que não tenho.

Enquanto choro

Li nas sombras do encanto que ser é mais do que existir
Que meu tormento é a chave para minha força
O choro é a cascata da dor e alivia
A lágrima é o cristal da vida
E o cansaço é o alerta para respirar fundo...
A vida, com suas dores e alegrias, deve ser profundamente sentida, contemplada
Em algum momento dela, tudo fará sentido.

Montanha-russa

Minha vida é uma bagunça
Vivo em uma montanha-russa
Nem imagino como me mantenho no eixo
Ficando calma e erguendo o queixo
Quando penso que aliviou, me surpreendo
Não há linearidade nessa sinfonia maluca
Mas quem disse que gosto de linhas retas?

Ao anjo das asas escondidas

Falso anjo das asas guardadas
Onde as esconde?
Corta os cabelos para ocultar os cachos
Finge inocência, disfarça as intenções
O há em seus olhos?
Nem luz, nem trevas, apenas um menino que virou homem
Um homem que ainda é um menino
Alguém que surgiu do passado
E está aí, com seu tridente, a eventualmente pousar na minha janela
Quer água, um doce ou um beijo?
Desconfio que seu desejo é não desejar
Mas vontades são soberanas
Na dúvida, lhe dou vários beijos, um pouco de água
O doce está em nossa imaginação
E o que mais quiser, anjo, peça que lhe darei.

Eu que

Eu, que habito as sombras, conheço os sussurros que não são ditos
Eu, que moro na Caverna, conheço os passos dos que se escondem
Eu, que me escondo nesse silêncio, conheço as sibilações
Eu, que sou translúcida, conheço as máscaras arranhadas dos que se alumiam
Eu, que não morro, matei muito aqui por dentro...
Eu, que grito nesse meu destino, falo baixo e observo
Eu, que sou fúria, também sou ninfa e musa
Som, cor, Preto, roxo e branco
Habito no escuro, mas sou cheia de luz.

Ontem

Ontem fui água, hoje sou gelo
ontem fui vento, hoje sou brisa
ontem mastiguei sentimentos, hoje apenas flores
ontem caminhei sobre as nuvens, hoje ganhei asas
ontem fui dor, hoje sou luz.

Chuva

Chuva combina com colo e abraço
Chuva combina com cafuné e vinho
Chuva combina com silêncio e compreensão
Chuva combina janela, cortina e saudade
Chuva combina com boca que chama e pensamento que beija...
Chuva combina com meios e fins
Chuva combina com luz e sombra
chuva combina comigo, consigo e com o que mais pudermos fazer...

A neurose de amor

Um famoso escritor da atualidade, volta e meia desopila seus amores e desamores em suas crônicas em jornais e no mundo virtual. Posta fotos de suas amadas, fala de seus sentimentos e, na minha opinião, expõe exageradamente aquelas que diz amar. Ele é ele, lógico, marketing ou não, é a sua maneira de expressar sentimentos. Tem vários casamentos e relações nas costas, todos definitivos, todos exagerados, todos propagados e difundidos. Sofre e se arrebenta em textos, pede para que ela volte, desfia as qualidades da amada, enaltece a relação, desabafa sobre o rompimento. Dali a algumas semanas, outra musa sobe ao posto, com tanta intensidade quanto a anterior. Essas atitudes, em minha modesta opinião, demonstram uma situação: ele ama mais o amor do que a pessoa e sufoca quem está com ele.
Você o criticaria, amiga(o), diria que é um cara impulsivo, chato e tal. Entretanto, quantas vezes você amou o amor, se apaixonou pela relação e não pela pessoa? Quantas vezes evitou de admitir erros seus…

Meu nome não é vagina

Sabe, me incomoda quando não me percebem por inteiro. Quando um pedaço pequeno e que representa apenas uma parte minha é considerado e a complexidade de uma pessoa que sente, que sonha, que se motiva, que chora, que tem estilo musical, que é cinéfila, impulsiva, incontrolável, afetiva, geniosa e etecetera é desconsiderada. Não sou minha vagina, amigo. Nem ela me representa na totalidade. Gosto de sexo, mas passo meses sem fazê-lo, masturbação, chuveirinho e vibrador resolvem o problema de qualquer mulher, acredite. Não preciso de você para gozar, meu orgasmo independe de ter um parceiro. Sinto falta de pele com pele, saliva, gemidos e tal, no entanto, não preciso transar a rodo ou com algum cara apenas para alimentar minha autoestima, eu SEI a mulher que sou, sei o efeito que causo. Ou você acredita ser o único a observar a minha silhueta definida por uma fina cintura e coxas torneadas? Amigo, olhe ao seu redor, observe, é mais inteligente do que isso.
Posso até me soltar na cama, livr…

Ela tem um bichinho

Você conhece aquela pessoa legal, divertida, inteligente, com quem adora conversar, discutir e filosofar, que lhe deixa sorrindo feito idiota e que, inclusive, faz seus olhos revirarem na hora do sexo. Ela tem seus defeitos, claro, mas são parte desse mistério incrível que sorri para você sempre que lhe vê e que forjaram essa pessoa tão imperfeita e tão legal para conviver. UAU! Pois é, mas você não lida bem ou não gosta de conviver com animais de estimação. E ela tem um, quando o azar é grande, ela tem mais de um. Se o azar for exagerado, ela tem mais de um de espécies diferente, gato, cachorro e aquela avezinha insuportável que fica acordando você. É certo que os papéis podem se inverter e ser o homem quem tem os animaizinhos e a mulher a criatura que não gosta de bichos por perto (o que é irônico, pois afirmo, para horror dos chatos, que somos bichos primatas bípedes humanos). Independente disso, onde um adora seus peludinhos e outro simplesmente não pode ver aquela boca peluda e b…