Pular para o conteúdo principal

Sexo como sintoma


Escuto histórias de amigos de que o casamento ou o namoro desandou de vez por causa do sexo ou da sua ausência. Que a mulher não queria dar mais ou que nunca foi lá essas coisas, mas que, no início, ele não se importava. Mas o tempo veio e com o tempo questionamentos e insatisfações. As amigas se queixam do desinteresse ou preguiça do homem e por aí vai. Eu sempre discordei disso. O sexo (ou a falta de), em uma relação NUNCA é o problema, mas seu principal e perturbador sintoma. Antes do sexo desandar de vez ou alguém encher o saco há várias situações que se descortinam aos seus olhos e você, cego-mor, por pura covardia ou medo de jogar tudo para o alto e ficar só, não quis enxergar. Nem todas as relações começam por amor, entenda bem, muitas são reflexo de uma carência, neurose ou posicionamento perante à sociedade, afinal, apesar do mundo “moderno”, as exigências sobre as mulheres e os homens são disfarçadamente parecidas com antigamente. Pode jogar pedra, mas questione se, em seu íntimo, você nunca se acomodou por puro medo de ficar sozinho(a).

Posso falar sobre o assunto, já passei por isso, até gostava do sexo no início, embora tivesse uma incômoda sensação no peito de que faltava algo. O tempo foi o sereno conselheiro para que percebesse que faltava mais do que algo, faltava o essencial: amor. Piegas? Não. Piegas é você aguentar alguém que não lhe compreende porque algum idiota disse isso, que melhor do que estar solteiro e feliz é ter uma relação infeliz ou tentar resolver seus problemas inconscientes através de uma relação que não irá lhe satisfazer. Dois perdidos em uma relação sem alma, sem rumo. Uma história que até pode ter começado com empolgação, mas logo veio a realidade, não foram feitos um para o outro. Quer seja por ambos tentarem curar uma dor de cotovelo, por querer ter alguém ou por uma projeção, enfim, começou em uma cama de pulgas. Algumas pessoas constituem família em relações assim, fico com pena dos filhos dessas criaturas.  Não tenho medo de que alguma senhora me pergunte o motivo de ainda ser solteira. Simples, prefiro uma grande parceria a um morno lugar-comum. Prefiro sexo com entrega, com vibração do que apenas sexo. Sintonia, entendimento, compreensão em uma relação não é fácil, nem um pouco.

Difícil assumir que escolheu errado ou que você mudou tanto que aquela criatura não lhe diz mais nada. Assumir que quer mais da vida, mais de si e de alguém que se dispuser a compartilhar sua cama e seus fluídos, espalhar os aromas sexuais por um quarto ou outro aposento qualquer, quem sabe o banco de trás de um carro em uma rua movimentada da cidade, não importa. Difícil assumir que é muito mais do que apenas sexo, que é afeto, entrega, parceria. Que você não quer olhar para fora e perceber que dentro de seu lar é um vazio afetivo, uma guerra fria, o ar é tão pesado que pode ser cortado com uma lâmina. Que você não se sente à vontade onde deveria ser seu refúgio: sua casa. E descobre que sexo e casa são palavras apenas se não vierem acompanhadas do principal, que é o amor. Esse sim, um artigo raro de encontrar e que transforma qualquer barraca de camping em um lar de verdade e o sexo na melhor alquimia desse mundo. E dos outros, também.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Amor é merecimento

Um rompimento sempre dá espaço às reflexões sobre o fim, quando escolhemos cair fora gostando muito da pessoa, ou quando há mais dúvidas do que certezas. No meu caso já fui muito magoada e caí fora porque não mereci o tratamento que recebi, mas isso já foi superado e essa situação me levou a perceber o motivo de me sentir tão entristecida. Pode ser que não seja possível escolher por quem nosso coração vai vibrar, quem vai nos fazer leves e tal, mas sentimos os primeiros sinais. Eu senti, mas fui cega para não perceber e cair fora antes. 

Apesar de alguém até contrariar esse meu pensamento, aprendi que amor é merecimento. Não vou mais entregar meu coração assim, por alguém que não faça por merecer, alguém que não demonstre muita vontade de estar por perto e que se importe. Sou naturalmente esquiva e arisca, apesar de já ter mudado bastante, sempre tenho a tendência à fuga. Mas quando sentimentos, emoções estão envolvidos, dá uma embaralhada, eu sei. No entanto, mesmo que sinta a proximi…

Desse destino louco

Sabe, você foi e é uma surpresa em minha vida. Quando nos conhecemos, mal reparei em você, pensei até que fosse muito carente ou algo do tipo. Resolvi ser cordial e conversar por nem sei qual motivo. Entenda, minha atitude é, via de regra, cortar qualquer entusiamo masculino, sou eu quem decide, sou eu quem escolhe, nunca sou escolhida. Mas sabe-se lá qual força do universo me fez descer do pedestal e dialogar com você. Que noite louca. Relembro e vejo que foi um negócio meio nonsense e até absurdo, que tinha tudo para dar errado. Mas estamos aí, nos conhecendo (quem sabe reconhecendo) e vivendo essa sintonia que surgiu nem sei de onde. Você, um nerd dos sistemas binários, eu, uma geek poeta que vê beleza nas situações mais bestas. Que enxerga magia onde você nem imagina. E, olha só que inusitado, vejo magia em nós.
Tantos e tantos anos se passaram desde a última vez em que foi mágico encontrar alguém, quantas lágrimas, ressacas e o refúgio no meu orgulho tiveram que acontecer para que…

Um pouco a cada dia - reflexão sobre a ansiedade

Caminhamos, corremos, dirigimos, entramos no ônibus, no táxi. Atravessamos a rua, paramos no sinal. Entramos em casa, na aula, no trabalho. Comemos, trabalhamos, estudamos. Conversamos, rimos, brincamos. Frequentamos academias, barzinhos, cinemas, shoppings. Fingimos. Todos os dias fingimos estar bem. Todos os dias fingimos não sentir o peito apertado, o coração descompassado, a respiração difícil. É quando voltamos para casa ou entramos em nosso quarto que tudo desaba. A solidão, os problemas reais ou imaginários, a depressão, ansiedade, o medo, a falta de vontade de viver batem de soco nos pensamentos. Não, pessoas, não é falta de ter o que fazer, falta de deus no coração ou falta de sexo. É falta de paz, falta de amor, falta de compaixão, falta de propósito, falta de ânimo, falta de motivação.
Pode ser excesso, também. Uma alta sensibilidade, emoções intensas e profundas em um mundo raso e fútil causa uma comoção severa nas almas mais pensativas e observadoras, com alta percepção …