Pular para o conteúdo principal

O amigo vibrador



Posso dizer que o vibrador é um bom amigo colorido. Sim, pois há várias cores ao seu e ao meu dispôr, além dos modelos e formatos. Depende do uso e lugar existem desde os em formato do nosso querido e amado pênis (em tamanhos descomunais ou nem tanto) até calcinhas vibratórias, alguns que encaixam entre as pernas e tantos outros que nem consigo acompanhar, hehe. Provavelmente com um desenho atendendo a clientes exigentes e fiéis. Vi um objeto estranhíssimo, segundo a descrição, era um estimulador anal. Sim, anal, do rabicó mesmo. Até ele tem direito a um objeto especial, pasmem. Mas é estranhíssimo, eu, hein. Sei lá, na dúvida nunca sugira ao seu namorado que gostaria. Acho que seria como enfiar bolotas de cocô ao contrário da direção que normalmente tomariam, podem imaginar que tal é o troço.

Namorados (ou maridos) e vibrador, uma questão controversa. Fabrício Carpinejar, em uma crônica recente, assumiu que nunca deu um à sua eleita e que um amigo comprou um especial na Alemanha para sua amada, sensível ao toque, bastando apenas encostar na pele para acioná-lo. Seu assombro foi que o cara passou incólume pela alfândega, inclusive explicando como o dito funciona, manual de instruções em alemão e tudo. Constrangedor, não é? Imagine o bofe em frente a estranhos, com o troço em riste e conversando com os fiscais como se estivesse falando em uma bolsa LV ou um chocolate belga. Nunca diga ao seu bofe que ele traga um brinquedinho do exterior, poupe-o desse constrangimento, uma grande lição. Aliás, se muitos homens não ficam confortáveis quando você se masturba durante o sexo, imagina um vibrador. Medo da competição? O clitóris é um território cheio de possibilidades, infelizmente não conhecidas nem por nós, suas alegres e destemidas proprietárias, imagina para um mancebo ou ancião que só conhece aquele botãozinho ali fora, isso quando conhece. Sei lá, o vibrador deve ter uma face oculta que só aparece aos homens para deixá-los tão assustados com o bicho. Se eles soubessem como melhora tudo, uiuiuiui! E como nos ajuda a conhecer o próprio corpo e descobrir esse ilustre visitante chamado orgasmo.

Os homens, geralmente, ainda acreditam serem os responsáveis únicos pelo orgasmo e algumas mulheres partilham dessa crença. Pura bobagem, primeiramente precisamos conhecer como funcionamos para depois dar OIÊ! ao orgasmo quando vier nos visitar. Os homens ajudam muito, lógico, mas a mãozinha ali, bolinando ou o vibrador amigo são ótimas opções para gritar de gozo, literalmente. E o desenho dos vibros já é tão estudado que há alguns lindos e super anatômicos (e vários caríssimos). Há vibradores banhados a ouro 24 quilates, creiam. Vi a foto de um que garante encaixar tão bem liberando as nossas famintas mãos para enlaçar nosso bofe. Uma delícia não? Mas o preço não é muito convidativo, quem sabe o bom homem não lhe dá de presente? Ou você pode parcelar no cartão. Se você é uma afortunada que acha razoável pagar uns 300 reais ou mais por um bichinho desses encontrará objetos incríveis para agilizar a visita orgasmática.

Na dupla penetração, se você não quer um outro bofe dividindo seu lindo corpinho com o amado, pode usar um vibrador em formato de pênis e o próprio do seu eleito. Um num buraco, outro noutro. Nunca esqueça de que vibros precisam ser limpos após o uso e jamais partilhados. Vibrador e homem a gente não empresta, combinado? E, caso queira enfiar o vibro no rabicó, use camisinha, para garantir. Ah, uma dica importante, não use nada com material em PVC, que até é considerado cancerígeno. Procure materiais o mais hipoalergênicos possível. Sinta-se confortável com o bicho, adquira um que se adapte ao uso que dará e ao seu gosto mesmo. Sim, querida, vibrador e pau também são questão de gosto. Umas gostam de um jeito, outras doutro. Sinceramente, eu gosto de pau. ADORO um pau, uiuiui, arrepiei aqui. Acho que vou encerrar logo esse texto e usar meu vibro calmamente. Pois é, não tenho um bofe para dar jeito na vida, vai com o vibro mesmo.

Brincadeiras à parte, nunca esqueça que sexo bom é sexo praticado. MUITO praticado e com entrega, suor, sussurros e saliva. Se você não consegue largar o vibrador de mão (literalmente) e se relacionar saudavelmente com um homem, é bom procurar ajuda psicológica. Porque nada, mas nada mesmo substitui uma boca engolindo e amando a sua, mãos percorrendo seu corpo e os olhos dele fixos no seu. Bom proveito, amiga, espero que meu texto possa ter lhe estimulado a conhecer ou usar ainda mais o nosso amigo vibrador. Boa sorte com a visita orgasmática!

publicado originalmente em www.papodemulher.blog.br

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Amor é merecimento

Um rompimento sempre dá espaço às reflexões sobre o fim, quando escolhemos cair fora gostando muito da pessoa, ou quando há mais dúvidas do que certezas. No meu caso já fui muito magoada e caí fora porque não mereci o tratamento que recebi, mas isso já foi superado e essa situação me levou a perceber o motivo de me sentir tão entristecida. Pode ser que não seja possível escolher por quem nosso coração vai vibrar, quem vai nos fazer leves e tal, mas sentimos os primeiros sinais. Eu senti, mas fui cega para não perceber e cair fora antes. 

Apesar de alguém até contrariar esse meu pensamento, aprendi que amor é merecimento. Não vou mais entregar meu coração assim, por alguém que não faça por merecer, alguém que não demonstre muita vontade de estar por perto e que se importe. Sou naturalmente esquiva e arisca, apesar de já ter mudado bastante, sempre tenho a tendência à fuga. Mas quando sentimentos, emoções estão envolvidos, dá uma embaralhada, eu sei. No entanto, mesmo que sinta a proximi…

Desse destino louco

Sabe, você foi e é uma surpresa em minha vida. Quando nos conhecemos, mal reparei em você, pensei até que fosse muito carente ou algo do tipo. Resolvi ser cordial e conversar por nem sei qual motivo. Entenda, minha atitude é, via de regra, cortar qualquer entusiamo masculino, sou eu quem decide, sou eu quem escolhe, nunca sou escolhida. Mas sabe-se lá qual força do universo me fez descer do pedestal e dialogar com você. Que noite louca. Relembro e vejo que foi um negócio meio nonsense e até absurdo, que tinha tudo para dar errado. Mas estamos aí, nos conhecendo (quem sabe reconhecendo) e vivendo essa sintonia que surgiu nem sei de onde. Você, um nerd dos sistemas binários, eu, uma geek poeta que vê beleza nas situações mais bestas. Que enxerga magia onde você nem imagina. E, olha só que inusitado, vejo magia em nós.
Tantos e tantos anos se passaram desde a última vez em que foi mágico encontrar alguém, quantas lágrimas, ressacas e o refúgio no meu orgulho tiveram que acontecer para que…

Um pouco a cada dia - reflexão sobre a ansiedade

Caminhamos, corremos, dirigimos, entramos no ônibus, no táxi. Atravessamos a rua, paramos no sinal. Entramos em casa, na aula, no trabalho. Comemos, trabalhamos, estudamos. Conversamos, rimos, brincamos. Frequentamos academias, barzinhos, cinemas, shoppings. Fingimos. Todos os dias fingimos estar bem. Todos os dias fingimos não sentir o peito apertado, o coração descompassado, a respiração difícil. É quando voltamos para casa ou entramos em nosso quarto que tudo desaba. A solidão, os problemas reais ou imaginários, a depressão, ansiedade, o medo, a falta de vontade de viver batem de soco nos pensamentos. Não, pessoas, não é falta de ter o que fazer, falta de deus no coração ou falta de sexo. É falta de paz, falta de amor, falta de compaixão, falta de propósito, falta de ânimo, falta de motivação.
Pode ser excesso, também. Uma alta sensibilidade, emoções intensas e profundas em um mundo raso e fútil causa uma comoção severa nas almas mais pensativas e observadoras, com alta percepção …