Pular para o conteúdo principal

Seu machismo e as boazudas

Créditos Super Rock Facebook

Olá, homem moderno, estou novamente escrevendo para você falando sobre nós, mulheres, o belo sexo. Eu e minhas amigas estamos revoltadas com as outras cobranças absurdas que a sociedade faz sobre nós e que você absorve. Não cometo o mesmo erro de muitas das minhas amigas mulheres e acreditar piamente que você é o responsável por todos os males que nos afligem, sabemos que não é. Mas esse tabu sobre a mulher boazuda e que sabe que o é, que é feminina mas super parceira e, pasme amigo Homem Moderno, ela é inteligente, lhe ama e lhe respeita (inclusive, muito mais do que as chamadas discretas para casar) nos deixa decepcionadas. Como se o pré-requisito para ter uma mulher que chame de sua seja que ela não tenha nem sal e nem pimenta ou que até o tenha, mas não chame a atenção dos seus amigos, que seja "respeitável" e use roupas senhoris ou quase isso depois dos trinta anos. Ah, mas ela deixa o cabelo crescer, ufa, que alento! Olhe só, ela também passa batom nos lábios, nossa, tem salvação. Mas é dura e séria como nossas tias de mais de setenta anos, deusolivre falar palavrão em dia de jogo de futebol e tentar ter uma conversa de igual para igual com os amigos. Seus gestos são estudados e cuidadosos para não ferir os brios da sociedade. Nossa, mulheres para casar não transgridem as regras, só as acéfalas que você come. Aliás, nem elas. 

Uma mulher que tem auto-confiança e sabe o que quer não tem vergonha de ser bonita, se cuida na academia, gosta de se vestir e maquiar; mas, também, lê jornais, revistas, livros, tem opinião própria, defende seus pontos de vista, tem percepção sobre o mundo e pode ser uma ótima parceira para você. Além de tudo, meu amigo, tem uma coração carente e machucado mas que acredita em amar alguém e poder viver bem com esse homem, é sensível e vai estar ao seu lado nos ótimos momentos e nos difíceis e pesados também. Ah, irá lhe respeitar e, possivelmente, será mais fiel que as "para casar" que estão com a cabeça cheia de idéias e se habituaram a fingir serem boazinhas. Está chocado? Pois é, mas esse estigma da mulher para casar ainda ronda a vida da mulher moderna. A que se arrisca a ter atitude e se apaixonar por você será rotulada como "peguete" e mais nada, mas, secretamente, é ela quem lhe desafia e estimula, é com ela que você gosta de perder suas horas conversando, rindo e fazendo sexo. É nela que você lembra nas mais variadas situações e aquela bunda firme da garota na sua frente faz lembrar a dela, tão cuidada e empinada pelos pesos da musculação e tão macia que você imediatamente pensa em ligar. Não, melhor não ligar, não é? Vai que você se veja irremediavelmente enredado na teia sedutora dessa mulher.

Essa é mais uma das tantas cobranças absurdas que sofremos por parte da sociedade, a de ser boazinha, não gargalhar e nem participar das rodas onde se conta piada bagaceira. Falar palavrão é proibido. Tantas e tantas regras, tantas exigências absurdas que só nos afastam, só deterioram uma relação que pode dar certo. É muita regra e pouca ação, pouco amor, pouca realização. Faça assim, apenas nos encontre, sem julgamentos. Abra seu coração e nos deixe entrar e largar nossa bolsa em algum canto. Permita que deixemos a escova de dentes aí. E, por favor, nos chame de boazudas, mas admire muito nossa inteligência.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Amor é merecimento

Um rompimento sempre dá espaço às reflexões sobre o fim, quando escolhemos cair fora gostando muito da pessoa, ou quando há mais dúvidas do que certezas. No meu caso já fui muito magoada e caí fora porque não mereci o tratamento que recebi, mas isso já foi superado e essa situação me levou a perceber o motivo de me sentir tão entristecida. Pode ser que não seja possível escolher por quem nosso coração vai vibrar, quem vai nos fazer leves e tal, mas sentimos os primeiros sinais. Eu senti, mas fui cega para não perceber e cair fora antes. 

Apesar de alguém até contrariar esse meu pensamento, aprendi que amor é merecimento. Não vou mais entregar meu coração assim, por alguém que não faça por merecer, alguém que não demonstre muita vontade de estar por perto e que se importe. Sou naturalmente esquiva e arisca, apesar de já ter mudado bastante, sempre tenho a tendência à fuga. Mas quando sentimentos, emoções estão envolvidos, dá uma embaralhada, eu sei. No entanto, mesmo que sinta a proximi…

Desse destino louco

Sabe, você foi e é uma surpresa em minha vida. Quando nos conhecemos, mal reparei em você, pensei até que fosse muito carente ou algo do tipo. Resolvi ser cordial e conversar por nem sei qual motivo. Entenda, minha atitude é, via de regra, cortar qualquer entusiamo masculino, sou eu quem decide, sou eu quem escolhe, nunca sou escolhida. Mas sabe-se lá qual força do universo me fez descer do pedestal e dialogar com você. Que noite louca. Relembro e vejo que foi um negócio meio nonsense e até absurdo, que tinha tudo para dar errado. Mas estamos aí, nos conhecendo (quem sabe reconhecendo) e vivendo essa sintonia que surgiu nem sei de onde. Você, um nerd dos sistemas binários, eu, uma geek poeta que vê beleza nas situações mais bestas. Que enxerga magia onde você nem imagina. E, olha só que inusitado, vejo magia em nós.
Tantos e tantos anos se passaram desde a última vez em que foi mágico encontrar alguém, quantas lágrimas, ressacas e o refúgio no meu orgulho tiveram que acontecer para que…

Um pouco a cada dia - reflexão sobre a ansiedade

Caminhamos, corremos, dirigimos, entramos no ônibus, no táxi. Atravessamos a rua, paramos no sinal. Entramos em casa, na aula, no trabalho. Comemos, trabalhamos, estudamos. Conversamos, rimos, brincamos. Frequentamos academias, barzinhos, cinemas, shoppings. Fingimos. Todos os dias fingimos estar bem. Todos os dias fingimos não sentir o peito apertado, o coração descompassado, a respiração difícil. É quando voltamos para casa ou entramos em nosso quarto que tudo desaba. A solidão, os problemas reais ou imaginários, a depressão, ansiedade, o medo, a falta de vontade de viver batem de soco nos pensamentos. Não, pessoas, não é falta de ter o que fazer, falta de deus no coração ou falta de sexo. É falta de paz, falta de amor, falta de compaixão, falta de propósito, falta de ânimo, falta de motivação.
Pode ser excesso, também. Uma alta sensibilidade, emoções intensas e profundas em um mundo raso e fútil causa uma comoção severa nas almas mais pensativas e observadoras, com alta percepção …