Pular para o conteúdo principal

A você, que continua igual



O tempo vai passando e eu vou mudando, mantendo a essência, mas mudando, ou melhor, evoluindo, porque é para a frente que se anda. O incrível nisso tudo é que quem me rodeia tem uma dificuldade enorme de me entender. Talvez, nunca tenham me entendido. Não que eu seja melhor que os outros, sou diferente, sou Eu. Pior que uns, melhor que outros, como todos que habitam nesse grande organismo chamado Terra. Só não acho mais graça em atividades que eu gostava há quinze anos atrás, só isso. Meus prazeres mudaram, meus interesses ampliaram, minha vida está acontecendo, como eu não percebia há muito tempo. Me descobri de uma maneira tal que eu quero me agradar. Sem essa de satisfazer a amiga desejosa de ir a algum lugar que eu já não gosto, sem essa de bancar a mocinha para agradar algum cara que eu nem quero, só porque é amigo de alguém que eu conheço. Aliás, não me sinto na obrigação de fazer um número e gênero para agradar ninguém, menos ainda quem eu quero por parceiro, sócio, amigo e amante na vida. Uma mulher que gosta de ser "fazida" paga um preço muito alto pelo seu teatrinho: ela está com alguém que não está com ela. Sim, porque um homem pode até ser um idiota, mas ele não é idiota o tempo todo, a não ser que ele nunca esteve nem aí para você, queria apenas uma gostosa para exibir aos amigos. No momento em que ele descobre que aquele vozinha meiguinha é na verdade uma megera inútil, acredite, ele cai fora.

E esse mundo sinceramente, está uma tranqueira de gente que não se resolve; pensam que só trabalhando e ganhando dinheiro serão vitoriosos. Ótimo, precisamos de dinheiro, mas e o aprimoramento emocional? E o sucesso como pessoa? A grande lição que a vida tem a ensinar para cada um é esquecida e as criaturas humanas transformam-se em adolescentes crescidos e com dificuldade de vivenciar plenamente as experiências proporcionadas e entender que essas experiências são consequências das nossas ações. Simples "cada um colhe aquilo que semeia". Eu tenho me esforçado em aprender alguma lição nessa vida, em perceber que viver não é isso ou aquilo, há várias nuances nessa nossa passagem e que não devemos endurecer nosso coração. O meu coração quero bem molinho, bem macio e confortável para quem nele se abrigar.

Admito ser uma pessoa que entendeu não saber viver bem sem amor, sem um parceiro capaz de perceber as minhas nuances ou tentar entender, que aceite minha personalidade e converse comigo quando acreditar que exagerei e acredite em mim. Aliás, alguém que acredite na gente, que aposte mesmo é um tesouro que pretendo descobrir. Isso não significa que deixo qualquer um entrar na minha vida e que não vivo sozinha. Exatamente por isso é que escolho muito bem ou sei usar minha intuição, como queiram, que vivo bem solteira. A vida é ouro quando tecemos uma teia de relações com a família, com os amigos e mesmo com os estranhos, todos tem algo a ensinar, mesmo que seja ruim. Mas precisamos escolher muito bem quem queremos nessa teia de vida. Vampiros psíquicos existem e são casos da psicanálise, pessoas mal-resolvidas sugam nossa energia boa, ainda bem que várias eu deixei a porta aberta para elas irem. E foram mesmo, ainda bem, não é? Não precisamos de amiga fura-olho, invejosa e intriguenta cortando o nosso barato com um bofe que estamos curtindo, não precisamos de amigo invejoso do bofe e que fica querendo melar a história. Usando uma expressão que o pessoal da Qualidade adora, se somos um time, precisamos de torcida, não é? Não de inveja, francamente.

Minha mudança desenrolou aos poucos, fui me descobrindo cada vez mais e estou curtindo muito. Sou sincera, me adoro, me acho o máximo, não vivo sem mim! Se não for assim, como seria? Precisamos acreditar mais, confiar mais, viver mais, perceber mais quem nos rodeia. A linguagem não verbal é eloquente também. Aliás, muito eloquente. O jeito de alguém se movimentar, olhar, fala muito, sem uma palavra sequer. Precisamos, também, nos perceber mais, olhar para as nossas profundezas e encarar aquele monstro que lá habita. Eu vi meu monstro de frente, encarei medos abissais (adoro essa palavra, abissal) e sobrevivi a mim. Hoje em dia eu e meu monstro somos vizinhos amigáveis, ele faz parte de mim e eu dele.

Resistir às mudanças é uma tendência natural, mas precisamos evoluir, não tem jeito. Se alguém não consegue entender que você mudou alguns hábitos e acrescentou outros é porque essa pessoa tem medo de mudar. Simples. Uma mulher ou um cara que não consegue resistir ao sexo porque precisa se achar gostoso(a) tem sérios problemas de auto-estima. Não preciso ir para a cama com vários homens para me saber bonita e gostosa, felizmente, tenho espelho em casa e a lembrança dos vários elogios que ouvi nessa vida. Fico muito irritada com a simples sugestão de que eu deveria agir assim, dar chance pra mais um qualquer que será apenas um arrependimento na madrugada. 

E o fato de enxergar e aceitar isso em mim, me deixa tão orgulhosa, bah! E você também pode se orgulhar de si, tente. Há mais beleza e vida no seu corpo e na sua mente do que está enxergando. Não se compare com os outros, você é único(a) e tão perfeito(a) nessa singularidade que faz alguém nesse mundo lhe olhar diferente. Olhe, se conselho fosse bom, não se dava, vendia. Mas esse conselho sei que é fundamental para qualquer um de nós, em qualquer lugar desse mundo e em qualquer situação na vida: MUDE. E mude por você, pelo seu bem-estar, pela sua evolução, pela sua felicidade. Com a sua mudança, tenho certeza que várias situações que lhe incomodam serão diferentes, que as outras pessoas perceberão e, consequentemente, mudarão em relação à você. Aliás, mude sempre, por favor, esteja sempre aberto (a) ao novo. E aberto(a) à você. 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Amor é merecimento

Um rompimento sempre dá espaço às reflexões sobre o fim, quando escolhemos cair fora gostando muito da pessoa, ou quando há mais dúvidas do que certezas. No meu caso já fui muito magoada e caí fora porque não mereci o tratamento que recebi, mas isso já foi superado e essa situação me levou a perceber o motivo de me sentir tão entristecida. Pode ser que não seja possível escolher por quem nosso coração vai vibrar, quem vai nos fazer leves e tal, mas sentimos os primeiros sinais. Eu senti, mas fui cega para não perceber e cair fora antes. 

Apesar de alguém até contrariar esse meu pensamento, aprendi que amor é merecimento. Não vou mais entregar meu coração assim, por alguém que não faça por merecer, alguém que não demonstre muita vontade de estar por perto e que se importe. Sou naturalmente esquiva e arisca, apesar de já ter mudado bastante, sempre tenho a tendência à fuga. Mas quando sentimentos, emoções estão envolvidos, dá uma embaralhada, eu sei. No entanto, mesmo que sinta a proximi…

Desse destino louco

Sabe, você foi e é uma surpresa em minha vida. Quando nos conhecemos, mal reparei em você, pensei até que fosse muito carente ou algo do tipo. Resolvi ser cordial e conversar por nem sei qual motivo. Entenda, minha atitude é, via de regra, cortar qualquer entusiamo masculino, sou eu quem decide, sou eu quem escolhe, nunca sou escolhida. Mas sabe-se lá qual força do universo me fez descer do pedestal e dialogar com você. Que noite louca. Relembro e vejo que foi um negócio meio nonsense e até absurdo, que tinha tudo para dar errado. Mas estamos aí, nos conhecendo (quem sabe reconhecendo) e vivendo essa sintonia que surgiu nem sei de onde. Você, um nerd dos sistemas binários, eu, uma geek poeta que vê beleza nas situações mais bestas. Que enxerga magia onde você nem imagina. E, olha só que inusitado, vejo magia em nós.
Tantos e tantos anos se passaram desde a última vez em que foi mágico encontrar alguém, quantas lágrimas, ressacas e o refúgio no meu orgulho tiveram que acontecer para que…

Um pouco a cada dia - reflexão sobre a ansiedade

Caminhamos, corremos, dirigimos, entramos no ônibus, no táxi. Atravessamos a rua, paramos no sinal. Entramos em casa, na aula, no trabalho. Comemos, trabalhamos, estudamos. Conversamos, rimos, brincamos. Frequentamos academias, barzinhos, cinemas, shoppings. Fingimos. Todos os dias fingimos estar bem. Todos os dias fingimos não sentir o peito apertado, o coração descompassado, a respiração difícil. É quando voltamos para casa ou entramos em nosso quarto que tudo desaba. A solidão, os problemas reais ou imaginários, a depressão, ansiedade, o medo, a falta de vontade de viver batem de soco nos pensamentos. Não, pessoas, não é falta de ter o que fazer, falta de deus no coração ou falta de sexo. É falta de paz, falta de amor, falta de compaixão, falta de propósito, falta de ânimo, falta de motivação.
Pode ser excesso, também. Uma alta sensibilidade, emoções intensas e profundas em um mundo raso e fútil causa uma comoção severa nas almas mais pensativas e observadoras, com alta percepção …