Pular para o conteúdo principal

Você pensa que entende de amor

Autor desconhecido

A maioria das pessoas que conheço dizem saber tudo sobre amor, já ter vivido histórias tórridas e cheias de conflitos, arrebatadoras e tormentosas, com muitos desencontros e pouca verdade nos encontros. Mentira. Para bom entendedor, meia palavra basta e, meus caros leitores, amor não é nada disso. Amor não é tórrido, embora tenha seus momentos de paixão, amor é fogo que não queima, interpretando livremente meu amado Camões, amor é um estado de espírito e não de êxtase. Amor é besta de tão simples e até imperceptível, eu mesma só percebi que era amor muito tempo depois que já estava totalmente perdida.

Outra mentira que contam sobre o amor é que pode acontecer a qualquer momento. Amor só acontece para quem se ama acima de tudo, para quem sabe que pode não ser um modelo de beleza e inteligência, mas que é uma pessoa que vale a pena. Amor precisa de amor-próprio, para que possa haver respeito e compreensão, principalmente de você para você mesmo. Só é capaz de perdoar quem se perdoa, quem entende que também é uma pessoa limitada e falha. É bem mais fácil aceitar as limitações do outro quando uma pessoa se entende como alguém imperfeito. Aliás, essa é outra mentira não contada do amor: a perfeição. Esqueça esse mito do amor, amor é bom porque é imperfeito e nos proporciona a chance inigualável de aprimorar o espírito e a mente. Aprender sempre com quem se ama é uma maravilha que deveria estar entre as oito do mundo. 

Uma verdade sobre o amor: quem ama, sem perceber, se transforma em uma pessoa melhor, mesmo que seja um cara chato, rabugento e xucro; mesmo que seja uma mulher complicada, desconfiada e lunática. A resposta para isso é simples, queremos que dê certo. Outra bobagem do amor é que quem ama liga todos os dias, se declara, saliva feito um cachorro sofrendo de raiva à primeira visão do ser amado, mentiras, mentiras, quantas mentiras. Há relações que emperram por causa dessa exigência absurda. A criatura está ali, se esfalfando para agradar e o outro acha que é pouco, pois o marido da fulana faz assim, a esposa do ciclano faz assado. Oras, larguem seus amores atuais e tentem esses que estão com os amigos! Cada um dá o que sabe, agora quem tem preguiça de se doar, bom é outra história. 

Já comprei briga com algumas mulheres, apesar de ser feminista, eu não crucifico homem nenhum. A mentira maior é que homens são todos iguais, por favor e nós, quem aguenta uma criatura que tem TPM, que não pode ver uma vitrine e que precisa de quase dois guarda-roupas para acomodar seus pertences. Ora, ouvi uma moça ali dizer que não é assim? Parabéns, se nós mulheres da raça humana não somos iguais, os homens também não são. Nesse ponto, eu tenho que acrescentar que uma pessoa que acredita que a única coisa ruim numa relação é a traição, é alguém que espera muito pouco da vida. Costumo falar às minhas amigas que antes de uma traição há várias situações em que um se perde do outro. Uma relação mais comumente termina porque o casal se perdeu do que porque traiu. Acreditem, há vários casais que se separam ao construir muros invisíveis entre um e outro e se amam; é a pior separação, um sofre porque o outro sofre também. 

Os tormentos não são amor, quem vive numa relação onde a tônica é a confusão, a briga e o desencontro, sinto muito, mas você precisa se tratar. Amor pode ter discussão e discordância, mas sempre deve haver a vontade de um caminho de acerto. Até pode acontecer desse caminho se desviar, o que denuncia a necessidade de um se recolher para resolver algum problema interno e que nada tem a ver com o casal. Mas uma verdade deve ser dita, amor dá trabalho, investimento afetivo e um exercício de tolerância. E vale muito a pena, com todo o medo e risco que assumimos, amor faz viver, faz sonhar, deixa o cotidiano leve e nos coloca sonhos e projetos na cabeça. É um vôo alucinado no escuro, uma viagem ao desconhecido e uma descoberta diária do outro e de nós. O tempo pode ser inexorável, mas o amor é imponderável e maravilhoso em seu mistério e ousadia.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Amor é merecimento

Um rompimento sempre dá espaço às reflexões sobre o fim, quando escolhemos cair fora gostando muito da pessoa, ou quando há mais dúvidas do que certezas. No meu caso já fui muito magoada e caí fora porque não mereci o tratamento que recebi, mas isso já foi superado e essa situação me levou a perceber o motivo de me sentir tão entristecida. Pode ser que não seja possível escolher por quem nosso coração vai vibrar, quem vai nos fazer leves e tal, mas sentimos os primeiros sinais. Eu senti, mas fui cega para não perceber e cair fora antes. 

Apesar de alguém até contrariar esse meu pensamento, aprendi que amor é merecimento. Não vou mais entregar meu coração assim, por alguém que não faça por merecer, alguém que não demonstre muita vontade de estar por perto e que se importe. Sou naturalmente esquiva e arisca, apesar de já ter mudado bastante, sempre tenho a tendência à fuga. Mas quando sentimentos, emoções estão envolvidos, dá uma embaralhada, eu sei. No entanto, mesmo que sinta a proximi…

Desse destino louco

Sabe, você foi e é uma surpresa em minha vida. Quando nos conhecemos, mal reparei em você, pensei até que fosse muito carente ou algo do tipo. Resolvi ser cordial e conversar por nem sei qual motivo. Entenda, minha atitude é, via de regra, cortar qualquer entusiamo masculino, sou eu quem decide, sou eu quem escolhe, nunca sou escolhida. Mas sabe-se lá qual força do universo me fez descer do pedestal e dialogar com você. Que noite louca. Relembro e vejo que foi um negócio meio nonsense e até absurdo, que tinha tudo para dar errado. Mas estamos aí, nos conhecendo (quem sabe reconhecendo) e vivendo essa sintonia que surgiu nem sei de onde. Você, um nerd dos sistemas binários, eu, uma geek poeta que vê beleza nas situações mais bestas. Que enxerga magia onde você nem imagina. E, olha só que inusitado, vejo magia em nós.
Tantos e tantos anos se passaram desde a última vez em que foi mágico encontrar alguém, quantas lágrimas, ressacas e o refúgio no meu orgulho tiveram que acontecer para que…

Um pouco a cada dia - reflexão sobre a ansiedade

Caminhamos, corremos, dirigimos, entramos no ônibus, no táxi. Atravessamos a rua, paramos no sinal. Entramos em casa, na aula, no trabalho. Comemos, trabalhamos, estudamos. Conversamos, rimos, brincamos. Frequentamos academias, barzinhos, cinemas, shoppings. Fingimos. Todos os dias fingimos estar bem. Todos os dias fingimos não sentir o peito apertado, o coração descompassado, a respiração difícil. É quando voltamos para casa ou entramos em nosso quarto que tudo desaba. A solidão, os problemas reais ou imaginários, a depressão, ansiedade, o medo, a falta de vontade de viver batem de soco nos pensamentos. Não, pessoas, não é falta de ter o que fazer, falta de deus no coração ou falta de sexo. É falta de paz, falta de amor, falta de compaixão, falta de propósito, falta de ânimo, falta de motivação.
Pode ser excesso, também. Uma alta sensibilidade, emoções intensas e profundas em um mundo raso e fútil causa uma comoção severa nas almas mais pensativas e observadoras, com alta percepção …