Pular para o conteúdo principal

Síndrome do Leão da Montanha



Sei lá, esses encontros. A gente está ali, quieta, falando bobagem e gargalhando com as amigas, fugindo de encontros. Mas fugindo mesmo, chamo de Síndrome do Leão da Montanha, sempre escapando pela esquerda ou direita. Mas o raio do destino apronta, de novo. Não adianta, merda de campo magnético com defeito, sempre caras legais, mas sempre com algum MAS. Não quero, não vou ceder, não vou me magoar de novo, me machucar de novo, não vou, não vou, não vou. Chega dessa vida afetiva maluca, CHEGA, ouviu? Dessa vez, vou fugir, já decidi. Ponto final. E não vem com essa de que tenho que dar chance, quem sabe é alguém legal, blá, blá, blá. Chega de chances, chega de esperas, já escrevi isso antes.

Agora quero paz, sossego, vida mais calma. Tudo bem que um sofazinho e filme é tudo de bom. Mas esse programa não faz parte do meu cardápio. Acho que tenho mesmo que procurar uma garrafa de Jack Daniel's e beber puro, por favor. Em vários e longos goles para fingir que não me sinto sozinha. Cansei de você, Destino e do seu amigo atrapalhado, o Campo Magnético. Vocês dois só fazem merda. Bagunçam minha cabeça e me fazem chorar de raiva. Raiva de mim e do cara que vocês me apresentam. URGHS!!! Nojinho que dá, tanta baranga vagaba se dando bem com esses caras e eu aqui, sozinha. Eu que não mando em ninguém, eu que procuro me dar bem com a ex-mulher e os filhos, eu que não pego no pé, que não controlo, que não invado, que não poluo o espaço do cara com minhas sandices femininas. Bosta, viu. Porra. E não venham dizer que sou desbocada, Sinceramente, vá para o diabo que lhe carregue, sou desbocada. Ponto final. E vou fugir sim, vou me esfalfar fugindo, não dou mais chance para ninguém. Acabou a mamata, agora é guerra ou video game, eu fujo e fujo e fujo. Você não me pega mais, tenho pernas pequenas, mas sou rápida. É só desviar aqui e ali. Você não me pega, nanananananana!!! Tô fora. 

Não que eu não queira, sabe, quero sim. Mas custa ser assim, ele me olha, gosta de mim, eu idem. Conversamos, nos beijamos e o resto você já sabe. E a história se desenrola, naturalmente. Mas não, comigo tem que ser do jeito mais difícil. Você não se contenta em dar gostinho de quero mais, você me apresenta caras legais, mas sempre enrolados e confusos. Custa dar uma dentro, pra variar? Alguém, que, apesar de estar confuso e tal, que tenha atitude e me rapte para a vida dele. Juro, vou bem faceira. 

Mas agora fujo e fujo, Leão da Montanha incorporou em mim. Quem me quiser ou me pega no laço à distância ou à unha, sei lá. Preciso me sentir segura, saber o que o cara sente por mim, se realmente quer tentar qualquer coisa. Acho que a verdade é que quero um HOMEM. Assim mesmo, em caixa alta. Chega de quem não se decide, de quem não assume o que quer e o que sente. Porra, custa ser mais adulto? Ter atitude? Ex-mulher, ex-namorada todos tem. Eu tenho ex, também. E que é osso de tão chato. Mas quando a gente se envolve, vem o pacote, não adianta. Sempre será assim, desgostos, medos traumas, escolhas, tudo junto com a pessoa. Vá, vá, vá, chega desse papo, que já está na hora de fugir de novo e levar meus medos e mágoas para longe. FUI!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Amor é merecimento

Um rompimento sempre dá espaço às reflexões sobre o fim, quando escolhemos cair fora gostando muito da pessoa, ou quando há mais dúvidas do que certezas. No meu caso já fui muito magoada e caí fora porque não mereci o tratamento que recebi, mas isso já foi superado e essa situação me levou a perceber o motivo de me sentir tão entristecida. Pode ser que não seja possível escolher por quem nosso coração vai vibrar, quem vai nos fazer leves e tal, mas sentimos os primeiros sinais. Eu senti, mas fui cega para não perceber e cair fora antes. 

Apesar de alguém até contrariar esse meu pensamento, aprendi que amor é merecimento. Não vou mais entregar meu coração assim, por alguém que não faça por merecer, alguém que não demonstre muita vontade de estar por perto e que se importe. Sou naturalmente esquiva e arisca, apesar de já ter mudado bastante, sempre tenho a tendência à fuga. Mas quando sentimentos, emoções estão envolvidos, dá uma embaralhada, eu sei. No entanto, mesmo que sinta a proximi…

Desse destino louco

Sabe, você foi e é uma surpresa em minha vida. Quando nos conhecemos, mal reparei em você, pensei até que fosse muito carente ou algo do tipo. Resolvi ser cordial e conversar por nem sei qual motivo. Entenda, minha atitude é, via de regra, cortar qualquer entusiamo masculino, sou eu quem decide, sou eu quem escolhe, nunca sou escolhida. Mas sabe-se lá qual força do universo me fez descer do pedestal e dialogar com você. Que noite louca. Relembro e vejo que foi um negócio meio nonsense e até absurdo, que tinha tudo para dar errado. Mas estamos aí, nos conhecendo (quem sabe reconhecendo) e vivendo essa sintonia que surgiu nem sei de onde. Você, um nerd dos sistemas binários, eu, uma geek poeta que vê beleza nas situações mais bestas. Que enxerga magia onde você nem imagina. E, olha só que inusitado, vejo magia em nós.
Tantos e tantos anos se passaram desde a última vez em que foi mágico encontrar alguém, quantas lágrimas, ressacas e o refúgio no meu orgulho tiveram que acontecer para que…

Um pouco a cada dia - reflexão sobre a ansiedade

Caminhamos, corremos, dirigimos, entramos no ônibus, no táxi. Atravessamos a rua, paramos no sinal. Entramos em casa, na aula, no trabalho. Comemos, trabalhamos, estudamos. Conversamos, rimos, brincamos. Frequentamos academias, barzinhos, cinemas, shoppings. Fingimos. Todos os dias fingimos estar bem. Todos os dias fingimos não sentir o peito apertado, o coração descompassado, a respiração difícil. É quando voltamos para casa ou entramos em nosso quarto que tudo desaba. A solidão, os problemas reais ou imaginários, a depressão, ansiedade, o medo, a falta de vontade de viver batem de soco nos pensamentos. Não, pessoas, não é falta de ter o que fazer, falta de deus no coração ou falta de sexo. É falta de paz, falta de amor, falta de compaixão, falta de propósito, falta de ânimo, falta de motivação.
Pode ser excesso, também. Uma alta sensibilidade, emoções intensas e profundas em um mundo raso e fútil causa uma comoção severa nas almas mais pensativas e observadoras, com alta percepção …