Pular para o conteúdo principal

Amor xadrez



Em uma das várias conversas com amigas, hoje, ao telefone, comentei com uma delas, que é do núcleo duro da minha vida, que o amor virou um jogo de xadrez nesse mundo moderno. E SOU PÉSSIMA NO XADREZ. Dei risada na hora e pensei que é um ótimo tema para um texto. E me postei em frente ao computador para cuspir essas linhas, hehe. Vida dura de mulher solteira e que se banca num quesito muito mais fundamental do que apenas ter um contra-cheque: personalidade. Pagar uma conta várias pagam e até não são más pessoas, mas assumir suas opiniões e se postar perante a vida e o mundo com um sonoro DANE-SE, virando solenemente as costas para o que não está lhe servindo ou não agradou é para poucas. Não disfarço quando não gosto de alguma situação e não engulo um sapo-boi apenas para manter um homem ao meu lado a qualquer custo. Ou me ama e assume um compromisso afetivo comigo ou rua. Até dou chances, mas esses trouxas não entendem que não faço parte da decoração. Também não acredito em pedidos de namoro imediatos, acho que tudo tem seu tempo. O problema é que eu não tenho mais paciência alguma.

E paciência é peça chave no jogo de xadrez. Ah, foda-se, dou um tapa e mando longe essa merda de jogo. Antes ou o cara queria pegar, ou queria se apaixonar ou não queria nada e tudo estava resolvido. Agora é um tal de não sei, é um tal de enrolar para falar, não saber o que quer, se a mulher vai atrás ele fica, mesmo que não goste muito, se é mais na sua, como eu, ele não se manifesta, ah, muita firula. Ou me agarra e chama de minha mulher, calando essa minha boca-metralhadora-giratória com um amasso interminável ou some. Simples, eficiente e impossível. Assume que me quer mas que tem medo, que eu assusto, que me acha muito opinativa e banca (tentar, né, tentar) meter um freio nessa mulher furacoto (furacão com terremoto). Não sou nenhuma missão impossível, ciumenta, perspicaz e marcante, tem que ser Homem para me assumir. Pior, ninguém acredita que não sou eu quem diz isso, são as criaturas que me conhecem bem. O estagiário da minha irmã (que é um bolaço de pessoa) diz que o cara tem que ter personalidade para ficar comigo, senão foge mesmo. 

O dito estagiário me apelidou com o singelo nome de General. Deve ser porque sou um doce de pessoa. Que azeda, várias vezes. E é difícil saber qual das minhas facetas assumiu meu corpo nesse dia. Mas paciência e jogo de xadrez, definitivamente, não fazem parte da minha vida. Deve ser por isso que só me fodo nessa merda. Nunca soube dar um xeque-mate em um bofe, nunca lidei muito bem com esse monte de regrinha. Só sei que o cavalo anda em L. Já é alguma coisa. Esses caras fazem muito joguinho, faz um tempo disse a um que não entrasse nessas de querer me provocar ciúme, desse jogo eu entendo; quem se daria mal é ele. Não me ouviu, esse praga de homem. Se deu mal. A torre sei que anda para a frente e para o lado, mas também não ajuda muito, sem chances, jogar xadrez não é para mim. E não sou burra e nem uma pessoa hermética, ao contrário, mas é osso entender como o troço funciona, qual é. Nada muda o fato de que sou PÉSSIMA no xadrez, mas ruim de tão péssima. 

A verdade é que, infelizmente, terei que entrar no jogo. Sem essa de grudar, correr atrás ou babar ovo, pegar no pé não é comigo. E não sou boa em raciocínio lógico, não monte um enigma para que eu decifre. Mando você se foder sem dó e nem piedade. FALE. Mesmo que seu momento não seja muito bom, conte como começou, me explique que precisa ficar só. Ou que me quer, mas tem alguns assuntos a resolver. Tão simples, que merda, você complica. Todos, mas todos nós sem exceção passamos por momentos inseguros e carregamos uma bagagem pesada de experiências. O ser humano é feito de matéria intangível, emoções, pensamentos, medos. Facilitaria se a comunicação fluísse, se os gestos fossem valorizados. Se eu fosse a Rainha que dá um xeque-mate em seu coração.

Comentários

  1. Sensacional! me identifiquei totalmente com esse texto...Inclusive, também sou "carinhosamente" chamada de General por meus amigos.

    ResponderExcluir
  2. Haha, acho que nosso Exército será imbatível, mas querendo ser amorosamente subjugado!

    ResponderExcluir
  3. Adoreii essa Parteee...
    A verdade é que, infelizmente, terei que entrar no jogo.
    Sem essa de grudar, correr atrás ou babar ovo,
    FALE. Mesmo que seu momento não seja muito bom, conte como começou,
    me explique que precisa ficar só. Ou que me quer, mas tem alguns assuntos
    a resolver. Tão simples, que merda, você complica. Todos, mas todos nós
    sem exceção passamos por momentos inseguros e carregamos uma bagagem pesada
    de experiências. O ser humano é feito de, emoções,
    pensamentos, medos. Facilitaria se a comunicação fluísse,
    se os gestos fossem valorizados.
    Se eu fosse a Rainha que dá um xeque-mate em seu coração.

    ResponderExcluir
  4. Me identifiquei com esse texto! Não sei qual o problema que eles tem em dizer a real, olha me interesso por outra melhor que você, tá bom, vou ficar triste, tentar mil regimes, depois comer de novo q nem uma louca, mas vou seguir a vida.... pq diabos o cara não conta logo.... Tbm não sei adivinhar enigmas... mando em tres tempos ir a merda!

    ResponderExcluir
  5. Este tipo de raciocínio está mais para o racionalismo masculino, se florear demais, se perde, e manda longe porque não entendeu a intenção. O difícil do Xadrez não são as regras, mas entender a lógica do oponente, adivinhar seus movimentos e suas intenções antes que ele faça e agir preventivamente. É isto que torna o jogo interessante. Sem isto, a vida se torna simples, objetiva e tremendamente sem graça!
    @heliodesouza

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vamos combinar que entender o que um homem quer e se quer extrapolou. Se nós floreamos, enrolamos vocês enchem e caem fora. Para um mulher não é diferente. As relações terminam ou nem começam por falta de comunicação. Algumas, inclusive, nem teriam iniciado se a comunicação existisse. Mas sinta-se a vontade para opinar!

      Excluir
  6. Adorei o texto e é claro que me identifiquei, rs. Tenho tentado, em vão, encontrar respostas, mas acho que é a nossa faixa etária. Tenho 36, feliz da vida, estou na minha melhor fase. Já fui chamada de Pato Donald, pois paciência é algo que tenho que procurar muito.
    O que vejo é medo. Tudo bem, homem de verdade não vai ter medo de mulher, mas eles demoram muuuuito a amadurecer. Já conheci cara de quase 40 que não sabia nem se queria ser homem.
    Sem preconceito, tenho amigos homossexuais.
    Mas eles têm medo de não acompanhar, medo de se magoar, de ganhar menos, de ser traído, de ficar sem liberdade (?), de sofrer...
    Tem um texto lindo do Arthur da Távola que fala sobre isso: Não amar para não sofrer, sofrerá de qualquer jeito. (Gostar é tão fácil que ninguém aceita aprender. É o nome do texto.)
    Além disso, as pessoas se escondem cada vez mais, também por medo. Não falam o que querem e muito menos o que sentem. Sem diálogo, sem confiança, não dá mesmo.
    E ainda tem a correria do nosso cotidiano. As pessoas não se encontram, não se olham, como podem começar e construir algo??
    Obrigada por dividir seus pensamentos e reflexões, tenho pensado muito nisso também.
    Parabéns!
    Sucesso!!
    paolaboechat@ymail.com

    ResponderExcluir
  7. Muito bom!! =))

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Obrigada.

Postagens mais visitadas deste blog

Amor é merecimento

Um rompimento sempre dá espaço às reflexões sobre o fim, quando escolhemos cair fora gostando muito da pessoa, ou quando há mais dúvidas do que certezas. No meu caso já fui muito magoada e caí fora porque não mereci o tratamento que recebi, mas isso já foi superado e essa situação me levou a perceber o motivo de me sentir tão entristecida. Pode ser que não seja possível escolher por quem nosso coração vai vibrar, quem vai nos fazer leves e tal, mas sentimos os primeiros sinais. Eu senti, mas fui cega para não perceber e cair fora antes. 

Apesar de alguém até contrariar esse meu pensamento, aprendi que amor é merecimento. Não vou mais entregar meu coração assim, por alguém que não faça por merecer, alguém que não demonstre muita vontade de estar por perto e que se importe. Sou naturalmente esquiva e arisca, apesar de já ter mudado bastante, sempre tenho a tendência à fuga. Mas quando sentimentos, emoções estão envolvidos, dá uma embaralhada, eu sei. No entanto, mesmo que sinta a proximi…

Desse destino louco

Sabe, você foi e é uma surpresa em minha vida. Quando nos conhecemos, mal reparei em você, pensei até que fosse muito carente ou algo do tipo. Resolvi ser cordial e conversar por nem sei qual motivo. Entenda, minha atitude é, via de regra, cortar qualquer entusiamo masculino, sou eu quem decide, sou eu quem escolhe, nunca sou escolhida. Mas sabe-se lá qual força do universo me fez descer do pedestal e dialogar com você. Que noite louca. Relembro e vejo que foi um negócio meio nonsense e até absurdo, que tinha tudo para dar errado. Mas estamos aí, nos conhecendo (quem sabe reconhecendo) e vivendo essa sintonia que surgiu nem sei de onde. Você, um nerd dos sistemas binários, eu, uma geek poeta que vê beleza nas situações mais bestas. Que enxerga magia onde você nem imagina. E, olha só que inusitado, vejo magia em nós.
Tantos e tantos anos se passaram desde a última vez em que foi mágico encontrar alguém, quantas lágrimas, ressacas e o refúgio no meu orgulho tiveram que acontecer para que…

Um pouco a cada dia - reflexão sobre a ansiedade

Caminhamos, corremos, dirigimos, entramos no ônibus, no táxi. Atravessamos a rua, paramos no sinal. Entramos em casa, na aula, no trabalho. Comemos, trabalhamos, estudamos. Conversamos, rimos, brincamos. Frequentamos academias, barzinhos, cinemas, shoppings. Fingimos. Todos os dias fingimos estar bem. Todos os dias fingimos não sentir o peito apertado, o coração descompassado, a respiração difícil. É quando voltamos para casa ou entramos em nosso quarto que tudo desaba. A solidão, os problemas reais ou imaginários, a depressão, ansiedade, o medo, a falta de vontade de viver batem de soco nos pensamentos. Não, pessoas, não é falta de ter o que fazer, falta de deus no coração ou falta de sexo. É falta de paz, falta de amor, falta de compaixão, falta de propósito, falta de ânimo, falta de motivação.
Pode ser excesso, também. Uma alta sensibilidade, emoções intensas e profundas em um mundo raso e fútil causa uma comoção severa nas almas mais pensativas e observadoras, com alta percepção …