Pular para o conteúdo principal

Tente fazer o seu céu azul


Durante muito tempo, a música Pulsos da Pitty foi, digamos, meu hino. E percebo que hoje 
ainda é. No que pese os comentários de que as músicas da Pitty são direcionadas aos adolescentes, isso pouco me importa. O relevante em uma música é o fato de a letra tocar sua alma, de alguma forma, despertar algum tipo de sentimento, e pronto, o resto é o resto. 

A primeira estrofe da música, que tenho certeza, é do conhecimento de todos, é essa: "E um dia se atreveu a olhar pro alto; tinha um céu, mas não era azul,no cansaço de tentar, quis desistir;se é coragem, eu não sei"


Como qualquer ser humano que habita a face da terra, minha vida é cheia de altos e baixos, nunca foi, nem por um minuto, segundo, milésimo, um mar de águas calmas. Sempre foi e é uma montanha russa de emoções. Embora você que tenha lido minha postagem anterior possa pensar, mas que contrassenso, antes ela dizia que todo dia fazia tudo sempre igual, agora diz que não goza de uma vida calma. Enfim, a vida é um contrassenso e a minha não seria diferente.

Muitas vezes olhei pro céu e pedi que me desse forças pra continuar, a lutar pela vida, por um trabalho, por um relacionamento, contra a depressão, contra a ansiedade, contra a vontade de desistir de tudo que não dava certo e correr, fugir, não sei pra onde. E atualmente, muitas e muitas vezes sinto essa imensa vontade de fugir do mundo, pedir para o maquinista parar esse trem porque eu quero descer na próxima estação. Porque ainda não encontrei o que quero, o que irá satisfazer minha ânsia de vida, ainda não encontrei meu ar, aquele que te proporciona uma plenitude em uma inspiração profunda.

Mas não paro, não desço, respiro fundo, estufo o peito, enxugo eventuais lágrimas e vamos lá, ver o que posso aproveitar de determinado acontecimento ruim, desagradável, que me magoou.E nessa busca incessante pelo que desejo, e, confesso, muitas vezes não sei exatamente o que é, sigo em frente, graças a minha grande capacidade de resiliência que Deus me deu. Mas no fim, o que eu quero, e tenho certeza de afirmar sem erro, o que todos queremos, é ser feliz, é acordar pela manhã e ter vontade de sair da cama, é não torcer para que o dia termine rapidamente, porque se o dia termina depressa, a semana também, o ano idem e a vida passa como uma estrela cadente correndo no céu e nem percebemos...e não quero, de forma alguma, que tudo acabe sem que eu possa chegar no final e dizer, valeu a pena ter estado aqui.

Por isso, digo a mim mesma, em um momento de auto-aconselhamento: olha pro céu, deseja, sem medo, luta pra conseguir, da forma que puder, do jeito que der e risque a palavra desistir do seu dicionário.


Comentários

  1. É bem assim, a gente tem que acreditar ser possível fazer diferente, mergulhar dentro do nosso abismo e conviver com as nossas sombras. É a única maneira de viver em paz. Adorei teu texto!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Obrigada.

Postagens mais visitadas deste blog

Amor é merecimento

Um rompimento sempre dá espaço às reflexões sobre o fim, quando escolhemos cair fora gostando muito da pessoa, ou quando há mais dúvidas do que certezas. No meu caso já fui muito magoada e caí fora porque não mereci o tratamento que recebi, mas isso já foi superado e essa situação me levou a perceber o motivo de me sentir tão entristecida. Pode ser que não seja possível escolher por quem nosso coração vai vibrar, quem vai nos fazer leves e tal, mas sentimos os primeiros sinais. Eu senti, mas fui cega para não perceber e cair fora antes. 

Apesar de alguém até contrariar esse meu pensamento, aprendi que amor é merecimento. Não vou mais entregar meu coração assim, por alguém que não faça por merecer, alguém que não demonstre muita vontade de estar por perto e que se importe. Sou naturalmente esquiva e arisca, apesar de já ter mudado bastante, sempre tenho a tendência à fuga. Mas quando sentimentos, emoções estão envolvidos, dá uma embaralhada, eu sei. No entanto, mesmo que sinta a proximi…

No próximo ano, lambuze-se

Os votos dessas festas de final de ano são iguais e repetidos ad infinitum mundo afora pela sua família, vizinhos, amigos, desconhecidos, desconfio de que até os mortos os repetem em seus túmulos. Blábláblá sem emoção jogado ao vento e nos ouvidos incautos de quem foge dessa hipocrisia morna e irritante. Portanto, serei sincera: desejo que nesse próximo ano, você se lambuze. Fique com o rosto sujo e a alma respingada pelo lambuzo. Descasque uma manga e coma sem cortar em pedaços, sinta o suco escorrendo pela sua boca, as mãos meladas. Lambuze-se. Vá mais vezes à pracinha de brinquedos com seus filhos e se lambuze de areia, sujeira e amor. Abrace sua mãe e seu pai, faça mais brincadeiras irônicas com seus irmãos, evite a irritação com comentários alheios. Lambuze-se de tolerância. Sinta que você pertence a você, mas permita que alguém se lambuze de você. Permita que se lambuze com suas palavras, seus gestos, suas atitudes, seus olhos, seu corpo.
No próximo ano, lambuze-se de amor-própri…

Sobre todas e todos os dias

Quando é noticiado violência contra a mulher, como agressões ou estupros, sempre há pessoas (entre elas algumas mulheres) atacando a vida e hábitos da mulher. Por ser sensual ou não, pelas roupas, por ter filho, pelo comportamento, o que, francamente, mesmo que fosse uma senhora freira, religiosa e que usasse um hábito tapando seus pés também seria motivo para essa cultura do estupro tomar forma. Fosse eu, você ou alguma parente ou amiga sua seria igualmente horrível e asqueroso o ato criminoso que homens cometem todos os dias contra mulheres. Na maioria dos casos não são loucos ou doentes, apenas terrivelmente mal-intencionados. 
E qual a parcela de culpa da sociedade nisso tudo? Toda a culpa. Quando hiper-sexualizam a mulher, objetificam e põe uma mulher contra a outra, quando a aparência é julgada, quando o desrespeito é a regra e incentivado, mulheres são e serão estupradas e abusadas todos os dias. Quando o não de uma mulher for interpretado como charme ou falso desinteresse, enqu…