Pular para o conteúdo principal

Procuro seus pedaços em alguns inteiros



Parece loucura, parece volubilidade, parece carência, parece que meu sentimento é vão. Clichê total, sei disso, por favor, me permita a breguice de sentir sua falta cada vez em que dobro a esquina, que vejo alguém parecido com você, que lembro das nossas conversas, que penso em saber sua opinião. Deve ser isso ou o juízo me fugiu (se é que algum dia o tive) que faz de mim uma caçadora dos seus pedaços pela cidade. A tatuagem de alguém que lembra a sua, um homem com a sua altura e estilo, outro que trabalha na mesma área, outro que conversa um assunto que remete a você, os enfileirados, um após outro, que surgiram com seu signo, atormentando minha vida. Aquele cujo signo é o mesmo do seu lunar. Sim, lembro de tudo, até porque, nem faz tanto tempo assim. Mesmo que fizesse, sua ausência é uma desgraça, está em cada passo que dou, em cada retorno para a minha casa, em cada vez em que deito e sinto sua falta. Você está em mim e em algum lugar por aí.

O coração pula enlouquecido em meu peito quando penso ter encontrado outro pedaço seu por aí. Talvez, minto, certamente é o desejo de vê-lo inteiramente, que se poste em minha frente e deixe minhas pernas transformadas em gelatina quando abrir seu sorriso arrasador. Como pude tirar essa mulher tão frágil de dentro do meu abismo? Como pude ser essa criatura que procura por alguém que, provavelmente, a ignora? Quero jogar e meu melhor parceiro (até agora) não está aqui, o melhor desafio, melhor nem sei em quê. Quero falar e o melhor ouvinte e que melhor me compreendeu não me ouve. Sabe que converso sozinha com você? Xingamentos são parte dessa conversa, mas declarações e lembranças também o são. Perdi a sanidade, estranhamente, sinto como se agora é que estivesse realmente viva. 

Procuro você em outros, mas sei que não estará em nenhum deles, é único e insubstituível. Seus dramas pessoais, sua visão de mundo, suas contradições. Você é tão você e sequer percebe. Diz aos amigos que não é bem assim, logo em seguida, entrega algum sorriso pendurado nos lábios quando meu nome surge. Sei disso, ninguém precisa falar ou comentar, eu sei. Conheço uma parte de você e gostaria muito que conhecesse uma parte minha. Que as partes faltosas se apresentassem e, assim, fosse feito um acordo. Você é meu melhor segredo e minha busca diária. 

Embora tenha bloqueado seu telefone, as caixas de diálogo no bate-papo, não o bloqueei no coração. Atitude contraditória, como eu. Aliás, fosse de outra maneira, não seria eu. O fato de raramente enviar sinais de fumaça nada significa, eu sei. Acostumado com mulheres que agem de modo padrão e óbvio, comigo deve ter dúvidas. Ao ler esse texto nem reconhecerá você nele, também o sei. Ou pensará "ela jamais escreveria algo assim para mim". Escrevi, aliás escrevo. Vê? Há algo entre nós que foge da minha percepção, gostaria que arrancar do meu peito e da minha cabeça, abrir esse espaço que é seu para que outro o ocupe. Sei que outro virá, talvez, com menos medo de uma mulher intrometida e hiper-sensível como eu. 

Enquanto não sei onde está, o procuro por aí. Um dia, canso, deixo a raiva tomar conta e o arranco de mim, sou perita nisso. Embora disfarce bem, sou blindada de maneiras imperceptíveis aos olhos comuns. O que todos percebem de mim é apenas a ponta do Iceberg-Mulher que sou, apenas o que permito. Mesmo você mal sabe quem sou e nem se deu ao trabalho de descobrir. Acredito que gostaria de todas as mulheres que estão por aqui, morando em meu abismo. Saberia com qual adormeceu, se aventuraria a descobrir qual acordou em seu peito. Sim, seu peito. Seus braços, seu abraço, suas pernas pesando sobre as minhas, suas mãos em minha cintura fina. Você tatuou sua lembrança em cada pedaço de pele, em cada suspiro que dou. Você é o DNA do meu afeto, lindo. Espero na próxima esquina que surja inteiro e não seu pedaço em outro alguém. Por enquanto.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Amor é merecimento

Um rompimento sempre dá espaço às reflexões sobre o fim, quando escolhemos cair fora gostando muito da pessoa, ou quando há mais dúvidas do que certezas. No meu caso já fui muito magoada e caí fora porque não mereci o tratamento que recebi, mas isso já foi superado e essa situação me levou a perceber o motivo de me sentir tão entristecida. Pode ser que não seja possível escolher por quem nosso coração vai vibrar, quem vai nos fazer leves e tal, mas sentimos os primeiros sinais. Eu senti, mas fui cega para não perceber e cair fora antes. 

Apesar de alguém até contrariar esse meu pensamento, aprendi que amor é merecimento. Não vou mais entregar meu coração assim, por alguém que não faça por merecer, alguém que não demonstre muita vontade de estar por perto e que se importe. Sou naturalmente esquiva e arisca, apesar de já ter mudado bastante, sempre tenho a tendência à fuga. Mas quando sentimentos, emoções estão envolvidos, dá uma embaralhada, eu sei. No entanto, mesmo que sinta a proximi…

No próximo ano, lambuze-se

Os votos dessas festas de final de ano são iguais e repetidos ad infinitum mundo afora pela sua família, vizinhos, amigos, desconhecidos, desconfio de que até os mortos os repetem em seus túmulos. Blábláblá sem emoção jogado ao vento e nos ouvidos incautos de quem foge dessa hipocrisia morna e irritante. Portanto, serei sincera: desejo que nesse próximo ano, você se lambuze. Fique com o rosto sujo e a alma respingada pelo lambuzo. Descasque uma manga e coma sem cortar em pedaços, sinta o suco escorrendo pela sua boca, as mãos meladas. Lambuze-se. Vá mais vezes à pracinha de brinquedos com seus filhos e se lambuze de areia, sujeira e amor. Abrace sua mãe e seu pai, faça mais brincadeiras irônicas com seus irmãos, evite a irritação com comentários alheios. Lambuze-se de tolerância. Sinta que você pertence a você, mas permita que alguém se lambuze de você. Permita que se lambuze com suas palavras, seus gestos, suas atitudes, seus olhos, seu corpo.
No próximo ano, lambuze-se de amor-própri…

Sobre todas e todos os dias

Quando é noticiado violência contra a mulher, como agressões ou estupros, sempre há pessoas (entre elas algumas mulheres) atacando a vida e hábitos da mulher. Por ser sensual ou não, pelas roupas, por ter filho, pelo comportamento, o que, francamente, mesmo que fosse uma senhora freira, religiosa e que usasse um hábito tapando seus pés também seria motivo para essa cultura do estupro tomar forma. Fosse eu, você ou alguma parente ou amiga sua seria igualmente horrível e asqueroso o ato criminoso que homens cometem todos os dias contra mulheres. Na maioria dos casos não são loucos ou doentes, apenas terrivelmente mal-intencionados. 
E qual a parcela de culpa da sociedade nisso tudo? Toda a culpa. Quando hiper-sexualizam a mulher, objetificam e põe uma mulher contra a outra, quando a aparência é julgada, quando o desrespeito é a regra e incentivado, mulheres são e serão estupradas e abusadas todos os dias. Quando o não de uma mulher for interpretado como charme ou falso desinteresse, enqu…