Pular para o conteúdo principal

Ao dono dos olhos que me fitam

Foto de um quadro de Jackson Pollock


Tem sido complicado falar pessoalmente, então, imortalizo essa conversa com palavras, vírgulas, reticências, espero que sem ponto final. Parece que há uma conspiração universal para fazer essa saudade queimar e minha vontade de você não ser saciada. Parece que entes invisíveis pregam peças em nós, deixando espaços onde deveria haver abraços, beijos, saliva, pele e seus olhos; espaços onde há o que dizer e fazer, sentir. Rirá de mim ou não entenderá, mas espero que um dia saiba o que falarei antes mesmo das palavras serem vocalizadas, dos suspiros rechear os intervalos entre beijos. Sei que é cedo e isso me agonia, uma mulher que gosta de controlar tudo em si, de repente, se vê meio que à deriva desse eixo rígido que construí para mim, uma mulher que mantém suas emoções sob controle. Uma mulher que é fugitiva de afetos, encontra rotas de fuga onde quer que o afeto se instale.

Sou isso, apenas uma mulher. Frágil, imperfeita, múltipla, imprevisível. Não sou e nem quero ser forte o tempo todo, assusta a visão que sei ter de mim. Você me assusta, um homem tão abissal quanto eu, tão lindo, aliás, incrivelmente lindo (suspiros). Incrivelmente fugitivo também, embora não o admita. Foge de suas sombras, foge de seu coração. Diz que amou, mas não o era e sabe disso. Olha só, a intrometida e que fala demais deu as caras, não se magoe ou assuste comigo. Se me permite, aconselharei a fazer o que fiz: encare suas sombras, seu lado mais sombrio. É enriquecedor, acredite. Apenas assim poderá estar mais inteiro. Ah, agarre meu corpo, beije minha boca, também é muito interessante que o faça. Não quero você sob condições, apenas quero. Apenas sinto, apenas desejo. Apenas você (e somente você).

Você me enfeitiçou, me estragou. Agora, eu que havia recuperado totalmente a razão pela qual me guio, destrilhei (uma amiga diria que, finalmente, entrei no rumo). Nenhuma emoção que outro poderia me despertar sequer estaria próxima da que sinto por esse homem lindo, sensível e que tem os olhos mais expressivos (ou que me detive a observar) que já vi. Você fala comigo o tempo todo com seu olhar, diz o que pensa esconder. Tudo bem, me rendo, apenas é assim porque mexe comigo. Admito, pronto. Satisfeito? Espero que esteja bem insatisfeito, afinal, está longe de mim e isso não é bom.

Gostaria de escrever o que nunca foi escrito em meus textos, de afirmar tudo que não afirmei antes. Talvez, não deva ser escrito, devo permitir, como antes não permiti a outro. Sair da minha caverna. De qualquer maneira, você mexe comigo, o que decorrerá, nenhum pode afirmar. Sem promessas, afinal, criam expectativas e induzem ao erro. Obviamente que errar é humano, mas perdurar no erro como faço desde que lembro, é burrice da grossa. Quero viver um dia de cada vez, contemplando a vida como deve ser. Contemplando você, se for possível.

Concluo essa missiva com uma vontade e um pedido. Pode me beijar imediatamente? Gosto da sua boca e, principalmente, dos efeitos que causa. (Gosto de você) Gosto de ouvir quando fala, mas confesso que abstraio e minha atenção é desviada pelos atributos que tem. Sempre, por fim, me detenho em seus olhos e permaneço neles por muito tempo. Xingo mentalmente quando faz esses testes esperando que eu reaja como qualquer outra reagiria. Sabe, assim, subestima minha inteligência e isso não é bom. Se me quer, venha buscar. O que deseja saber, pergunte. Por favor, pare de tentar causar reações em mim, pode ser? Aliás, cause reações físicas, por favor. Me deixe em transe, me afogue em sensações. Me faça sentir, meu lindo e querido moço bonito. Beijo, em sua boca.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Amor é merecimento

Um rompimento sempre dá espaço às reflexões sobre o fim, quando escolhemos cair fora gostando muito da pessoa, ou quando há mais dúvidas do que certezas. No meu caso já fui muito magoada e caí fora porque não mereci o tratamento que recebi, mas isso já foi superado e essa situação me levou a perceber o motivo de me sentir tão entristecida. Pode ser que não seja possível escolher por quem nosso coração vai vibrar, quem vai nos fazer leves e tal, mas sentimos os primeiros sinais. Eu senti, mas fui cega para não perceber e cair fora antes. 

Apesar de alguém até contrariar esse meu pensamento, aprendi que amor é merecimento. Não vou mais entregar meu coração assim, por alguém que não faça por merecer, alguém que não demonstre muita vontade de estar por perto e que se importe. Sou naturalmente esquiva e arisca, apesar de já ter mudado bastante, sempre tenho a tendência à fuga. Mas quando sentimentos, emoções estão envolvidos, dá uma embaralhada, eu sei. No entanto, mesmo que sinta a proximi…

Sobre todas e todos os dias

Quando é noticiado violência contra a mulher, como agressões ou estupros, sempre há pessoas (entre elas algumas mulheres) atacando a vida e hábitos da mulher. Por ser sensual ou não, pelas roupas, por ter filho, pelo comportamento, o que, francamente, mesmo que fosse uma senhora freira, religiosa e que usasse um hábito tapando seus pés também seria motivo para essa cultura do estupro tomar forma. Fosse eu, você ou alguma parente ou amiga sua seria igualmente horrível e asqueroso o ato criminoso que homens cometem todos os dias contra mulheres. Na maioria dos casos não são loucos ou doentes, apenas terrivelmente mal-intencionados. 
E qual a parcela de culpa da sociedade nisso tudo? Toda a culpa. Quando hiper-sexualizam a mulher, objetificam e põe uma mulher contra a outra, quando a aparência é julgada, quando o desrespeito é a regra e incentivado, mulheres são e serão estupradas e abusadas todos os dias. Quando o não de uma mulher for interpretado como charme ou falso desinteresse, enqu…

Sua casa

Abra a porta, mas não chaveie,
a ideia de que esteja preso em mim
sufoca, 
quero você livre, se desejar ir
é porque meu coração não é onde gostaria de estar
Valorizo minha liberdade, logo, a sua é importante.
Mas não pense que, se a dúvida acometer,
aceitarei que saia e volte
Mas, se voltar
Traga a sua certeza
Partilhe sua vida comigo, mesmo em silêncio
Gargalhe, sorria
Você pode ser a música que falta
Esse verso que escrevo
E a poesia que ainda virá
As janelas que abri
foram para esperar sua brisa
refrescar minha pele
Você pode ser a mão que me segura na queda
O abraço que consola meu pranto
E o sexo na madrugada de que tanto gosto
Se vier, que esteja faminto
de mim, de nós
traga sua vontade, seu carinho e seu peito
Minha vida é a sua casa
meu corpo é sua cama, seu prato, seu lençol
Sua camisa é meu pijama
Sua saliva, meu antídoto
Minha pele será familiar
Serei sua casa, seu lar
Seu abrigo, sua proteção
E seu abraço, será, por fim
Meu lugar preferido no mundo.