Pular para o conteúdo principal

Desistências e covardias



Assumo, sou perita em desistir, cair fora. Mesmo indiretamente, estou sempre procurando motivos para desistir, abandonar, largar de mão. Provoco situações até inconscientemente, pensando bem, não passo segurança alguma para o desavisado que se aproximar de mim. Sou um abismo. Corrigindo, sou O abismo. Não mergulhe em mim, não se aproxime. Nos arrependeremos os dois. Mesmo quando tento ser legal, sou um desastre. O xadrez amoroso é um emaranhado de atitudes e decisões que não combinam comigo. Essa história de tentar, curtir, ir levando é uma tortura psicológica para mim. Não convivo bem com defuntas, vivas ou ilusórias, não convivo bem com homens indecisos, inseguros. Não convivo bem com os princípios, não está ao meu alcance essa habilidade de fingir não ver. Sou muito perceptiva, dificilmente escapa alguma situação, para piorar, me torturo com stalks frequentes em páginas alheias de ex qualquer coisa, meus ou dele (o desavisado). Vejo algum ex (meu) sozinho, penso, bom, o mundo tem salvação; se tem alguém, já imagino que um cara tão enrolado conseguiu e eu não! É, caso perdido.

Largue seu discurso pronto de mão. Comigo não funciona. Esse papinho frouxo de se dê uma chance, ele vai esquecer da ex, vai fazer isso, blábláblá já me estourou os tímpanos. Amor se dá de graça, quando sai caro não é amor. É posse, apego, medo, neurose, doença, qualquer outra emoção para a qual eu não tenho o mínimo saco de lutar. Já fui mãe de ex, outro marmanjo que não olha para dentro de si é demais. Compreende? Se o cara vive assim há anos, como eu mudaria essa situação se é ele quem deve desejar mudar? Gigantes feitos de moinhos de vento são apenas para Dom Quixote. Eu quero o horizonte, quero voar sem tirar os pés do chão, quero o risco. Mentirosa. A verdade é que desejo um homem que arrombe a porta da minha caverna e me arranque de lá. Que me faça acreditar, que ele acredite em nós. Que seja homem o suficiente para driblar suas inseguranças e medos, que reveja sua vida. Uma vez, há algum tempo, escutei de algum jovem galante que o fiz rever conceitos, o deixei meio sem chão, perdido e confuso. Foi o primeiro cara que, em minha história recente, me olhou fascinado. Não lembrava antes de algum outro ter fitado meus olhos tão fixamente, descortinando minha alma. Talvez eu deseje viver isso outra vez.

Esperança é uma palavra linda e adoro as boas palavras. Mas é preciso escolher ter ou não essa palavra em sua vida. Admiro quem tem, mas há tempos entendi que a esperança vem antes da perda, que esperar é a ante-sala do desgaste, do fim. Para não perder, nada espero e abandono a quase tudo. Minha caverna escura é mais segura, é ali que me sinto em segurança, que nada tem de semelhança com a paz. Sim, sou covarde. O fim, gosto dos fins, já escrevi sobre isso. Desisto antes de tentar de fato, de realmente acontecer. Sou uma reclusa de mim, dos meus pensamentos. Nenhum homem se apaixonaria tanto ao ponto de enxergar isso, de me roubar dessa caverna em que me escondo, agirá diferente. Cada um me dá ímpetos de fuga, de isolamento. Mais um que não deseja ser especial. Ou que não deixo ser especial em minha vida, ser meu parceiro. Então, desista, desavisado. Viva sua fantasia, que ficarei com minha realidade.

Comentários

  1. Please, dona Clau Dias Perséfone, ponha um bofe nesse corpitcho (já bem meia-boca) aí! Tá difícil a situation, hein? Por que será? Será caso perdido ou o mundo tem solução? Nós, seus ávidos e intrépidos leitores, queremos mais leveza e poesia nesses seus magíficos textos (ou seriam ¨textículos")? Saudações.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caso não saiba, informo que os IPs usados por ti e pela tua companhia de desocupados estão devidamente identificados, mesmo que sejam de lan house, a gente descobre, cutch-cutch. Descobri um aplicativo para instalar no blog e rastrear os comentários, portanto, eu APENAS confirmei quem é, mas já sabia de vocês. Acho que sente falta de intimações, ligações da delegacia e assemelhados. Um grande abraço e agradeço sua sincera preocupação. Ah, manda um abraço pro teu pessoal!

      Excluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Que absurdo!!!

    "Não há mal nenhum que nos faça
    Nenhuma ameaça
    Quando a mente e alma
    Caminham juntas
    Perfeitamente descalças."

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Obrigada.

Postagens mais visitadas deste blog

Amor é merecimento

Um rompimento sempre dá espaço às reflexões sobre o fim, quando escolhemos cair fora gostando muito da pessoa, ou quando há mais dúvidas do que certezas. No meu caso já fui muito magoada e caí fora porque não mereci o tratamento que recebi, mas isso já foi superado e essa situação me levou a perceber o motivo de me sentir tão entristecida. Pode ser que não seja possível escolher por quem nosso coração vai vibrar, quem vai nos fazer leves e tal, mas sentimos os primeiros sinais. Eu senti, mas fui cega para não perceber e cair fora antes. 

Apesar de alguém até contrariar esse meu pensamento, aprendi que amor é merecimento. Não vou mais entregar meu coração assim, por alguém que não faça por merecer, alguém que não demonstre muita vontade de estar por perto e que se importe. Sou naturalmente esquiva e arisca, apesar de já ter mudado bastante, sempre tenho a tendência à fuga. Mas quando sentimentos, emoções estão envolvidos, dá uma embaralhada, eu sei. No entanto, mesmo que sinta a proximi…

No próximo ano, lambuze-se

Os votos dessas festas de final de ano são iguais e repetidos ad infinitum mundo afora pela sua família, vizinhos, amigos, desconhecidos, desconfio de que até os mortos os repetem em seus túmulos. Blábláblá sem emoção jogado ao vento e nos ouvidos incautos de quem foge dessa hipocrisia morna e irritante. Portanto, serei sincera: desejo que nesse próximo ano, você se lambuze. Fique com o rosto sujo e a alma respingada pelo lambuzo. Descasque uma manga e coma sem cortar em pedaços, sinta o suco escorrendo pela sua boca, as mãos meladas. Lambuze-se. Vá mais vezes à pracinha de brinquedos com seus filhos e se lambuze de areia, sujeira e amor. Abrace sua mãe e seu pai, faça mais brincadeiras irônicas com seus irmãos, evite a irritação com comentários alheios. Lambuze-se de tolerância. Sinta que você pertence a você, mas permita que alguém se lambuze de você. Permita que se lambuze com suas palavras, seus gestos, suas atitudes, seus olhos, seu corpo.
No próximo ano, lambuze-se de amor-própri…

Sobre todas e todos os dias

Quando é noticiado violência contra a mulher, como agressões ou estupros, sempre há pessoas (entre elas algumas mulheres) atacando a vida e hábitos da mulher. Por ser sensual ou não, pelas roupas, por ter filho, pelo comportamento, o que, francamente, mesmo que fosse uma senhora freira, religiosa e que usasse um hábito tapando seus pés também seria motivo para essa cultura do estupro tomar forma. Fosse eu, você ou alguma parente ou amiga sua seria igualmente horrível e asqueroso o ato criminoso que homens cometem todos os dias contra mulheres. Na maioria dos casos não são loucos ou doentes, apenas terrivelmente mal-intencionados. 
E qual a parcela de culpa da sociedade nisso tudo? Toda a culpa. Quando hiper-sexualizam a mulher, objetificam e põe uma mulher contra a outra, quando a aparência é julgada, quando o desrespeito é a regra e incentivado, mulheres são e serão estupradas e abusadas todos os dias. Quando o não de uma mulher for interpretado como charme ou falso desinteresse, enqu…