Pular para o conteúdo principal

De todas as maneiras, entre todos os outros




Moço, tentei, tentei, usei as estratégias que haviam funcionado em outras situações, mas você é osso. Desalojá-lo do meu coração é a pior das tarefas amorosas que já tive a missão de cumprir. Usei todas as artimanhas conhecidas e que sempre deram certo, nenhuma funcionou. Beber todas as cervejas e mais um pouco apenas piora, a cada gole, penso mais e mais em você. Era tão fácil com os outros, mas eles foram apenas os outros. Aquele meu conhecido exercício de arrancar do coração doía, sabe, mas funcionava maravilhosamente. Dois meses e pronto, coração livre e alma leve. Em relação a você, mais fácil arrastar as pirâmides do Egito do que lidar com suas âncoras encravadas. Para uma mulher pragmática como eu, que se permite o caos, aceitar que essa tarefa é complexa demais para a minha força de vontade é inimaginável. Isso estava fora dos planos. Você estava fora dos planos. Mas aconteceu.

A saudade que sinto é maluca. Você é como um programa rodando em segundo plano, finjo que não está ali, entretanto, está. Aprendi a entender a saudade e esse sentimento como colegas de quarto. Ignoro, vivo, respiro e tudo o mais. Apenas deixo de canto tudo o que me causa. A decisão foi minha, embora espere que a questione a qualquer momento. Houvesse uma poção do esquecimento, beberia, não sei como lidar com isso.

O tempo passa e eu permito. Vivo, planejo, sou mulher de ir em frente, afinal, do chão, ninguém passa. Você continua aqui e em algum outro lugar, sabe que questiono minha sanidade? Tem momentos em ouço sua voz, sinto sua presença. Maluquice, nem pensa em mim. Ou eu uso essa desculpa para manter minha decisão e não olhar para trás. Foi alucinação o que vi em você ou como vi me olhar. Loucura. Teria tanto a lhe dizer, mas nem sei onde estão as palavras para expressar. Nem sei onde expressar. Nem sei.

Ignore minha decisão racional (expressada passionalmente). Ignore o meu "não quero saber de você". Ignore seus medos e defesas. Pensaremos e falaremos de menos. Viva, deixe fluir. Esse elástico que é confunde, disse chega a isso, não a você. Sinto sua falta. Entre todos os outros, encontrei em você quem sempre quis. Você me fez amá-lo porque percebe um lado meu que nem sabia, o meu melhor lado. Essa visão que tem de mim também aflorou o meu amor-próprio. Amo você porque faz me amar mais. Confuso? Pois é, intuía que o amor fosse esquisito e é, que fosse maluco e é, que fosse estranho e é. Amo você porque, mesmo no caos em que mergulhou, você é lindo, fofo, adorável, transborda afeto. Amo você porque me compreende como ninguém mais, Amo você porque comprovou minhas teorias sobre esse sentimento e me surpreendeu. Amo você porque você existe, porque respira, porque amo suas dores, seu caos. Amo sua luz e sua escuridão.

Por isso, escrevo para a sua ausência. Errado demais estarmos afastados. Nosso certo é você e eu unidos, na vida e na dor, nas vitórias e nos projetos, nas perdas e nos sorrisos. Esse meu coração maluco chama você, se pressente isso, o desassossego deve estar forte no seu coração. Desejo luz para você, serenidade e que se encontre. E aceite ser o cara incrível que é. Do amor que sinto para o amor que nega. Saudade.


Da sua pequena mulher com o tamanho certo
Para o homem de alma, estatura e coração enormes


Um texto que é inspirador para esses momentos é esse incrível e lindo da Daniela Lusa, que sabe o que escreve. E de quem escreve. 
http://confrariadostrouxas.com.br/2014/11/das-cartas-que-nao-precisariam-ser-escritas.html

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Amor é merecimento

Um rompimento sempre dá espaço às reflexões sobre o fim, quando escolhemos cair fora gostando muito da pessoa, ou quando há mais dúvidas do que certezas. No meu caso já fui muito magoada e caí fora porque não mereci o tratamento que recebi, mas isso já foi superado e essa situação me levou a perceber o motivo de me sentir tão entristecida. Pode ser que não seja possível escolher por quem nosso coração vai vibrar, quem vai nos fazer leves e tal, mas sentimos os primeiros sinais. Eu senti, mas fui cega para não perceber e cair fora antes. 

Apesar de alguém até contrariar esse meu pensamento, aprendi que amor é merecimento. Não vou mais entregar meu coração assim, por alguém que não faça por merecer, alguém que não demonstre muita vontade de estar por perto e que se importe. Sou naturalmente esquiva e arisca, apesar de já ter mudado bastante, sempre tenho a tendência à fuga. Mas quando sentimentos, emoções estão envolvidos, dá uma embaralhada, eu sei. No entanto, mesmo que sinta a proximi…

Desse destino louco

Sabe, você foi e é uma surpresa em minha vida. Quando nos conhecemos, mal reparei em você, pensei até que fosse muito carente ou algo do tipo. Resolvi ser cordial e conversar por nem sei qual motivo. Entenda, minha atitude é, via de regra, cortar qualquer entusiamo masculino, sou eu quem decide, sou eu quem escolhe, nunca sou escolhida. Mas sabe-se lá qual força do universo me fez descer do pedestal e dialogar com você. Que noite louca. Relembro e vejo que foi um negócio meio nonsense e até absurdo, que tinha tudo para dar errado. Mas estamos aí, nos conhecendo (quem sabe reconhecendo) e vivendo essa sintonia que surgiu nem sei de onde. Você, um nerd dos sistemas binários, eu, uma geek poeta que vê beleza nas situações mais bestas. Que enxerga magia onde você nem imagina. E, olha só que inusitado, vejo magia em nós.
Tantos e tantos anos se passaram desde a última vez em que foi mágico encontrar alguém, quantas lágrimas, ressacas e o refúgio no meu orgulho tiveram que acontecer para que…

Um pouco a cada dia - reflexão sobre a ansiedade

Caminhamos, corremos, dirigimos, entramos no ônibus, no táxi. Atravessamos a rua, paramos no sinal. Entramos em casa, na aula, no trabalho. Comemos, trabalhamos, estudamos. Conversamos, rimos, brincamos. Frequentamos academias, barzinhos, cinemas, shoppings. Fingimos. Todos os dias fingimos estar bem. Todos os dias fingimos não sentir o peito apertado, o coração descompassado, a respiração difícil. É quando voltamos para casa ou entramos em nosso quarto que tudo desaba. A solidão, os problemas reais ou imaginários, a depressão, ansiedade, o medo, a falta de vontade de viver batem de soco nos pensamentos. Não, pessoas, não é falta de ter o que fazer, falta de deus no coração ou falta de sexo. É falta de paz, falta de amor, falta de compaixão, falta de propósito, falta de ânimo, falta de motivação.
Pode ser excesso, também. Uma alta sensibilidade, emoções intensas e profundas em um mundo raso e fútil causa uma comoção severa nas almas mais pensativas e observadoras, com alta percepção …