Pular para o conteúdo principal

Sobre saudade e amores interrompidos


Há um ano, 27 de janeiro de 2013, a maior tragédia da cidade de Santa Maria, Rio Grande do Sul, ceifou vidas e deixará sequelas em um número ainda maior de pessoas. No entanto, a mais pungente e triste sequela nem é tão comentada: a saudade de um amor interrompido, a dor de nunca mais poder aguardar a chegada do filho, ou de beijar o namorado(a), de não se saber como desenrolaria o futuro daquelas pessoas que se foram, se teriam filhos, como seriam suas carreiras profissionais, quais escolhas fariam e o resultado das que fizeram. Saudade espera retorno, amor espera abraço. O carinho suspenso pelo fogo  e fumaça estará sempre na vida dos que perderam alguém, ainda mais de uma maneira tão estúpida, tão egoísta. O meu mundo não é mais o mesmo, mas o mundo dos que sentem a dor de um amor interrompido e de uma saudade é inexoravelmente partido, modificado. E dói muito mais porque amor engasgado é amor que estrangula, asfixia, adormece. E não há remédio ou palavras que podem modificar esse fato. Sim, eles vão levando a vida (ou a vida os leva), aparentemente estão ali, mas seus corações e pensamentos sempre voarão em outro plano, outro lugar que não aqui.

O agora é um lugar que dói para pai, mãe, esposa(o), namorada(o), amigos, parentes, pessoas que foram tocadas por essas vidas de alguma maneira, que receberam um sorriso ou um bom dia. Há a menina que nasceu sem conhecer o pai, há o pai que não conhecerá seu filho no futuro. Sim, pois as pessoas mudam sempre, o adolescente alegre daquele dia poderia ser o homem que descobriria uma nova tecnologia, uma nova medicação, um novo mundo. Há professores que apostavam em um aluno, que tinham esperança nele. E essa esperança está suspensa. Como num lago congelado de vida, futuro e amor.

Justiça sim, porque uma parte da dor é a impotência e a indignação. Justiça para esses pensamentos de dor, justiça para o útero que sangra a dor de uma perda, do adeus que não foi dito. Justiça para o amor engasgado e a saudade. Justiça sempre, as Instituições precisam responder adequadamente essa dor. A partida é sem volta, passagem comprada para o adeus. Então, que as respostas possíveis sejam dadas, mas as respostas que um coração anseia, eu não as tenho, você não as tem. Por quê se foram, destino, omissão, algo do plano espiritual? O que foi, para quê? Não sei. A certeza que tenho é que todos morremos um pouco naquele dia. Mas que precisamos, de alguma maneira, transformar essa dor em algo positivo, uma nova lei, um novo olhar sobre o mundo. E em novos eu e você. 27/01/2014 - Um ano sem adeus

Por Você - Cidadão Quem
Um Dia Lindo
Pra Sair De Casa 
E Andar Sem Rumo,
Esquecer
Que Não é Lindo 
Ver o Amigo
Partir Sem Rumo
Não Vou Saber

Refrão:
Mas Vou Lembrar
Que Não Se Morre 
Quando Se Deixa Vivo
Seu Olhar Dentro De Nós
Mas Vou Chorar
Por Ser Parte Daquilo
Que Não Entendo
Mas Vou Chorar 
Por Você

Um Dia Lindo
Pra Sair De Casa 
E Andar Sem Rumo,
Esquecer
Que Não é Lindo 
Ver o Amigo
Partir Sem Rumo
Não Vou Saber

(Refrão)
(Repetir Refrão)
Por Você

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Amor é merecimento

Um rompimento sempre dá espaço às reflexões sobre o fim, quando escolhemos cair fora gostando muito da pessoa, ou quando há mais dúvidas do que certezas. No meu caso já fui muito magoada e caí fora porque não mereci o tratamento que recebi, mas isso já foi superado e essa situação me levou a perceber o motivo de me sentir tão entristecida. Pode ser que não seja possível escolher por quem nosso coração vai vibrar, quem vai nos fazer leves e tal, mas sentimos os primeiros sinais. Eu senti, mas fui cega para não perceber e cair fora antes. 

Apesar de alguém até contrariar esse meu pensamento, aprendi que amor é merecimento. Não vou mais entregar meu coração assim, por alguém que não faça por merecer, alguém que não demonstre muita vontade de estar por perto e que se importe. Sou naturalmente esquiva e arisca, apesar de já ter mudado bastante, sempre tenho a tendência à fuga. Mas quando sentimentos, emoções estão envolvidos, dá uma embaralhada, eu sei. No entanto, mesmo que sinta a proximi…

No próximo ano, lambuze-se

Os votos dessas festas de final de ano são iguais e repetidos ad infinitum mundo afora pela sua família, vizinhos, amigos, desconhecidos, desconfio de que até os mortos os repetem em seus túmulos. Blábláblá sem emoção jogado ao vento e nos ouvidos incautos de quem foge dessa hipocrisia morna e irritante. Portanto, serei sincera: desejo que nesse próximo ano, você se lambuze. Fique com o rosto sujo e a alma respingada pelo lambuzo. Descasque uma manga e coma sem cortar em pedaços, sinta o suco escorrendo pela sua boca, as mãos meladas. Lambuze-se. Vá mais vezes à pracinha de brinquedos com seus filhos e se lambuze de areia, sujeira e amor. Abrace sua mãe e seu pai, faça mais brincadeiras irônicas com seus irmãos, evite a irritação com comentários alheios. Lambuze-se de tolerância. Sinta que você pertence a você, mas permita que alguém se lambuze de você. Permita que se lambuze com suas palavras, seus gestos, suas atitudes, seus olhos, seu corpo.
No próximo ano, lambuze-se de amor-própri…

Sobre todas e todos os dias

Quando é noticiado violência contra a mulher, como agressões ou estupros, sempre há pessoas (entre elas algumas mulheres) atacando a vida e hábitos da mulher. Por ser sensual ou não, pelas roupas, por ter filho, pelo comportamento, o que, francamente, mesmo que fosse uma senhora freira, religiosa e que usasse um hábito tapando seus pés também seria motivo para essa cultura do estupro tomar forma. Fosse eu, você ou alguma parente ou amiga sua seria igualmente horrível e asqueroso o ato criminoso que homens cometem todos os dias contra mulheres. Na maioria dos casos não são loucos ou doentes, apenas terrivelmente mal-intencionados. 
E qual a parcela de culpa da sociedade nisso tudo? Toda a culpa. Quando hiper-sexualizam a mulher, objetificam e põe uma mulher contra a outra, quando a aparência é julgada, quando o desrespeito é a regra e incentivado, mulheres são e serão estupradas e abusadas todos os dias. Quando o não de uma mulher for interpretado como charme ou falso desinteresse, enqu…